Meteorologia

  • 12 DEZEMBRO 2018
Tempo
16º
MIN 16º MÁX 17º

Edição

Mais de 600 mil caracóis fazem nascer 1.ª exploração em Paredes de Coura

Mais de 600 mil caracóis bebés vão fazer nascer em fevereiro a primeira exploração de caracoletas de Paredes de Coura, com seis mil metros quadrados, num investimento superior a 200 mil euros, disse hoje à agência Lusa o promotor.

Mais de 600 mil caracóis fazem nascer 1.ª exploração em Paredes de Coura
Notícias ao Minuto

10:28 - 18/01/18 por Lusa

Economia Investimento

"A partir de 20 de fevereiro o projeto vai arrancar com a colocação dos primeiros 600 mil caracóis bebés nas estufas que instalei em Mozelos [Paredes de Coura], com cerca de três mil metros quadrados", explicou João Gomes.

Aos 40 anos de idade, este serralheiro de profissão, deixou "falar mais alto o bichinho da agricultura" que lhe foi incutido desde pequeno pelos pais e decidiu criar a Couracol, financiado por fundos comunitários.

No terreno agrícola dos progenitores, em pousio há mais de 15 anos, altura em que a vacaria que a família explorava foi desativada, já está instalada a exploração coberta, que começa a funcionar em fevereiro. Mas o projeto prevê outros três mil metros quadrados para a instalação de um parral, um parque ao ar livre para engorda, que garanta a produção durante o verão.

"O bichinho da lavoura continuava cá dentro. Estive num impasse entre a produção de cogumelos ou caracóis até que conheci o trabalho da primeira cooperativa de helicicultores em Portugal, a Widehelix, e decidi avançar com a criação de caracóis. Nesta altura já investi entre 60 a 70 mil euros neste projeto", explicou.

Entre julho e agosto, João Gomes vai tirar a "primeira produção".

"O resultado vai depender de vários fatores, desde logo a taxa de mortalidade, que varia entre os 20 a 30%. Só dentro de cinco meses saberei a quantidade de caracoletas que vou produzir, sendo que cada uma tem de pesar entre 20 a 30 gramas", explicou.

Segundo João Gomes, no verão, "quando há fartura de caracóis", o preço do quilo varia entre os três a três euros e meio e, no inverno, "por causa da escassez", pode subir "aos quatro euros ou mais".

Além da área destinada à criação, a Couracol prevê a criação, em agosto, de uma maternidade de caracoletas, espécie cuja dimensão permite rendimento durante todo o ano e com um preço que compensa a sua exploração em cativeiro.

Os "bebés" da maternidade da Couracol destinam-se às próximas produções da exploração de João Gomes bem como à venda a outros produtores".

"O ovo do caracol é vendido a mil euros o quilo", frisou.

O projeto vai avançar apenas com o trabalho de João Gomes, mas, "na altura da colheita", irá recrutar mão-de-obra.

"No sábado chega a hortaliça própria para alimentar os caracóis bebés. É preciso algum tempo para a hortaliça estar em condições. A partir do dia 20 de fevereiro conto começar a instalar os bebés caracóis na estufa", disse.

A produção da exploração de João Gomes terá como destino Widehelix criada em janeiro de 2017 por 14 produtores de caracóis do Norte.

A cooperativa controla todo o processo do negócio, desde a produção e transformação à comercialização, e ainda dá formação e consultadoria.

Com sede em Vila Nova de Famalicão, a cooperativa foi constituída para dar "escala" a um negócio que tem como destino a Europa, o Canadá, Estados Unidos e Reino Unido, entre outros mercados internacionais.

No Alto Minho, segundo João Gomes, novas explorações estão previstas para Cerdal, em Valença e para Arcos de Valdevez, além de uma já existente em Ponte de Lima que, o ano passado ficou em terceiro lugar no Prémio Empreendedorismo e Desenvolvimento Rural 2016, promovido pela Câmara de Ponte de Lima.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório