Meteorologia

  • 21 JULHO 2018
Tempo
18º
MIN 17º MÁX 19º

Edição

Trabalhadores da Triumph mantêm vigília para impedir saída de material

Cerca de 100 trabalhadores da Têxtil Gramax Internacional, antiga Triumph, continuam em vigília junto à fábrica de Loures, para garantir que não é retirado material até à concretização da insolvência.

Trabalhadores da Triumph mantêm vigília para impedir saída de material
Notícias ao Minuto

20:13 - 12/01/18 por Lusa

Economia Têxtil Gramax

"Estamos aqui a assegurar todos os bens da fábrica, visto que já não recebemos o ordenado do mês de dezembro, não há subsídios e já foi dito que não há dinheiro", disse à Lusa a representante dos trabalhadores, Rosa Loureiro.

De acordo com a mesma fonte, a fábrica não se encontra a laborar e pelo menos desde o início da concentração, há uma semana, os gerentes não foram às instalações.

"A empresa ainda não nos disse nada, o Governo também não e nós queremos soluções. Queremos que os processos se resolvam o mais rapidamente possível e que seja nomeado, pelo juiz, um novo gerente [administrador de insolvência]", apontou Rosa Loureiro.

Pelas 17:45 os funcionários formaram um cordão humano, após se aperceberem de que tinham entrado nas instalações elementos da empresa Supskin, a quem a Gramax tinha alugado uma área para o fabrico de fatos de surf.

"O material pertencia à empresa [Gramax], hoje já não se sabe. Eles foram tão enganados como nós, mas não podemos permitir que saiam com nada até a situação estar resolvida", explicou.

Pelo local passou também a deputada do Bloco de Esquerda (BE) de Loures, Isabel Pires, que disse estar "solidária" com os trabalhadores.

"Já em 2015, o BE questionou o Governo, quando se começou a falar de uma possível venda da antiga Triumph. Em 2016, houve um investimento para que pudessem continuar a laborar, no entanto, agora deparamo-nos com um processo de insolvência. [...] Se houve ajudas estatais esta situação não poderia acontecer", vincou.

Para Isabel Pires, pode estar em causa uma "insolvência fraudulenta", que acarreta a "destruição da vida de quase 500 trabalhadores e das suas respetivas famílias".

Ao protesto juntaram-se ainda dirigentes e ativistas sindicais da CGTP, vindos do Plenário Nacional de Sindicatos, que decorreu hoje em Lisboa.

"Viemos deixar uma mensagem de total disponibilidade para a luta destes trabalhadores. Esta é uma luta pelo respeito dos direitos dos trabalhadores. Esperamos que seja célere a nomeação do administrador de insolvência", referiu o coordenador da União de Sindicatos de Lisboa, Libério Domingues.

Em vigília em frente às instalações de Loures há oito dias, os funcionários garantem que não vão desmobilizar até que o tribunal nomeie o novo administrador.

A fábrica da antiga Triumph (de roupa interior feminina), sediada na freguesia de Sacavém, no concelho de Loures, foi adquirida no início de 2016 pela Têxtil Gramax Internacional e emprega atualmente cerca de 400 trabalhadores.

No entanto, em novembro passado, a administração da empresa comunicou aos trabalhadores que iria ocorrer um processo de reestruturação, que previa o despedimento de 150 pessoas.

Em 05 de janeiro, depois de tomarem conhecimento de que a administração tinha iniciado um processo de insolvência, os trabalhadores iniciaram uma vigília à porta das instalações para impedir a saída de material.

As últimas informações dão conta de que o processo de insolvência terá dado entrada em tribunal, mas que não foi decretado um administrador.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.