Meteorologia

  • 16 JULHO 2018
Tempo
25º
MIN 24º MÁX 25º

Edição

Comprará uma prenda especial para si? Metade dos portugueses irá fazê-lo

Metade dos portugueses tenciona comprar um presente especial para si mesmo. Vestuário lidera a lista dos presentes mais desejados neste Natal.

Comprará uma prenda especial para si? Metade dos portugueses irá fazê-lo
Notícias ao Minuto

08:30 - 17/12/17 por Melissa Lopes

Economia Cetelem

Quem melhor do que nós próprios para acertarmos no presente ideal (para nós próprios)? Ninguém. Por essa razão, metade dos consumidores portugueses, segundo o mais recente estudo Observador Cetelem, tenciona comprar uma prenda especial para si. Uma tendência que se tem vindo a consolidar nos últimos anos e que aumentou 24 pontos percentuais em cinco anos. Entre as aquisições deverá incluir-se o vestuário, um dos presentes mais desejados no Natal de 2017.

No total, a intenção de comprar presentes para o próprio tem vindo a aumentar gradualmente ao longo dos últimos anos: de 26% em 2013, passa para 29% em 2014 e em 2015, e para 35% em 2016. Este ano situa-se nos 50%, ou seja, metade dos 600 inquiridos.

Desta feita, a prenda mais desejada pelos portugueses é vestuário: 34% dos inquiridos no estudo assim respondeu. Menção especial também para os perfumes e relógios, produtos desejados por 15% das pessoas, enquanto 12% dos consumidores lusos gostaria de receber produtos culturais, como livros ou CDs. Preferidos por 11% dos portugueses, os telemóveis e smartphones encontram-se no top cinco da lista de preferências.

Ao contrário do que se verifica na generalidade do ano e em anos anteriores, em 2017 os produtos e serviços respeitantes a viagens ou lazer são menos pretendidos pelos consumidores, pois apenas 6% dos inquiridos deseja receber uma prenda com esse perfil. Acessórios de moda, packs de lazer, tablets, eletrodomésticos e eletrónica de consumo – como TV, Hi-Fi, Video – completam o top 10 das categorias que os portugueses pretendem comprar.

*Este estudo foi desenvolvido em colaboração com a Nielsen, tendo sido realizados 600 inquéritos por telefone, a indivíduos de Portugal continental, de ambos os sexos, com idades compreendidas entre os 18 e os 65 anos, entre os dias 23 de setembro e 6 de outubro. O erro máximo é de +4.0 para um intervalo de confiança de 95%.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.