Meteorologia

  • 02 JULHO 2020
Tempo
17º
MIN 16º MÁX 25º

Edição

Objetivo de saída de 550 trabalhadores da CGD em 2017 "vai ser atingido"

O presidente da Caixa Geral de Depósitos (CGD) afirmou hoje que saíram 298 trabalhadores desde janeiro e, com os acordos já estabelecidos, o banco vai cumprir a meta de redução do quadro de pessoal em 550 pessoas em 2017.

Objetivo de saída de 550 trabalhadores da CGD em 2017 "vai ser atingido"
Notícias ao Minuto

20:44 - 27/10/17 por Lusa

Economia Paulo Macedo

"Os números [298 trabalhadores] que foram divulgados dizem respeito às pessoas que saíram" até setembro, afirmou hoje Paulo Macedo durante a conferência de imprensa de apresentação das contas dos primeiros nove meses do ano, em Lisboa.

De acordo com o gestor, além dos 298 trabalhadores que já deixaram o banco público, há mais um conjunto de funcionários que acordaram a saída no final deste ano, seja através das reformas normais, das adesões ao plano de pré-reforma ou de rescisões.

Paulo Macedo salientou que "há uma grande concentração [de saídas] no final do ano", realçando que "as pessoas que já manifestaram a intenção de sair e as que já saíram fazem com que os objetivos sejam atingidos".

O líder do banco estatal reforçou que tudo aponta para que se concretizem as 550 saídas previstas para 2017 no plano estratégico da instituição, especificando que, até agora, foram acordadas rescisões voluntárias por mútuo acordo com 55 pessoas, apesar de haver "um número maior de pedidos".

Já o plano de fecho de balcões está cumprido, com o encerramento de 63 desde o início do ano, quando o objetivo fixado para este ano era de 61 agências. Atualmente, a CGD conta 588 balcões na rede doméstica.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório