Meteorologia

  • 25 NOVEMBRO 2017
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 15º

Edição

Centeno espera que dívida fique abaixo dos 120%, dobro da regra europeia

O ministro das Finanças espera reduzir a dívida pública portuguesa abaixo dos 120% do Produto Interno Bruto (PIB) no final da legislatura, em 2019, o que será ainda o dobro do previsto pelas regras europeias, disse em entrevista à Reuters.

Centeno espera que dívida fique abaixo dos 120%, dobro da regra europeia
Notícias ao Minuto

19:05 - 18/10/17 por Lusa

Economia OE2018

Mário Centeno afirmou, na entrevista à Reuters, que "a dívida vai ficar este ano muito próxima de 126% do PIB, muito abaixo" do que consta no Orçamento do Estado para este ano porque há "liquidez suficiente para acelerar os pagamentos ao FMI [Fundo Monetário Internacional]", uma estratégia que é para prosseguir.

Questionado sobre qual a meta para a dívida pública no final da legislatura, o governante apontou para os 120% do PIB: "Se nós conseguíssemos colocar a dívida bruta abaixo de 120% do PIB no fim da legislatura, seria um excelente indicador. Alguns dirão que não é muito ambicioso, mas acho que a nossa ambição tem de ser à medida daquilo que a economia portuguesa pode suportar de maneira a não perturbar o crescimento económico em Portugal", disse.

No entanto, quando a dívida pública chegar aos 120% do PIB, estará ainda no dobro do que é permitido pelas regras europeias, que apontam para dívidas públicas de 60% do produto de cada país.

A dívida pública portuguesa aumentou até junho, para os 132,4% do PIB, acima dos 130,5% registados no primeiro trimestre e dos 130,3% verificados no final de 2016, segundo o Banco de Portugal.

Para o ministro das Finanças, levar a dívida para os 120% do PIB em 2019 é aproximar a trajetória da dívida portuguesa à da belga que descreveu como modelo a seguir por Portugal.

"Se conseguirmos colocar a dívida bruta abaixo dos 120%, estamos a seguir de muito perto aquilo que foi a trajetória da redução dívida da Bélgica no fim dos anos 90. Em 1985, a Bélgica tinha uma dívida de 130% do PIB e em 2007 essa dívida estava já em 85%. Esta trajetória sustentada, constante e gradual é aquilo que eu acho que Portugal deve ambicionar e implementar", afirmou o governante.

Na mesma entrevista, Mário Centeno referiu que "a reforma do sistema financeiro e a estabilização do sistema financeiro terão acrescentado ao 'produto potencial' qualquer coisa como 0,5 pontos", acrescentando que, como as estimativas do PIB potencial rondavam os 1,2 e 1,5%, "2% pode ser uma boa taxa" para o PIB potencial do país atualmente.

O responsável das Finanças disse ainda à Reuters que Portugal "pode crescer 2% nos próximos cinco anos", tendo em conta que a procura externa está a crescer "4% ou um bocadinho acima" e que a Europa tem apresentado "um crescimento estável".

Centeno considerou que "isso é muito bom porque permite que Portugal convirja durante um período que antes nunca existiu", o que "seria fantástico".

Na proposta de Orçamento do Estado para 2018 (OE2018), apresentada na sexta-feira ao parlamento, o Governo estima que o défice orçamental caia para 1% do PIB e que a economia cresça 2,2% no próximo ano. Quanto à dívida pública, o Governo antecipa que desça de 126,2% em 2017 para 123,5% no próximo ano.

Seja sempre o primeiro a saber. Acompanhe o site eleito pela Escolha do Consumidor 2017.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório