Meteorologia

  • 25 NOVEMBRO 2017
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 15º

Edição

Lucro dos CTT recua 44% para 17,7 milhões de euros no 1.º semestre

O lucro dos CTT recuou 44% no primeiro semestre, face a igual período de 2016, para 17,7 milhões de euros, divulgaram hoje os Correios de Portugal.

Lucro dos CTT recua 44% para 17,7 milhões de euros no 1.º semestre
Notícias ao Minuto

19:40 - 31/07/17 por Lusa

Economia Resultados

"Os CTT obtiveram um resultado líquido consolidado atribuível a acionistas dos CTT de 17,7 milhões de euros, valor 44% abaixo do atingido no primeiro semestre de 2016, correspondente a um resultado de 0,12 euros por ação e a uma margem líquida sobre os rendimentos operacionais de 5,0%", refere a empresa, em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

"Se excluirmos os efeitos não recorrentes em ambos os períodos, o resultado líquido teria decrescido 22,8% para 26,4 milhões de euros", acrescentam os CTT.

Em igual período, os rendimentos operacionais avançaram 0,3% para 352,1 milhões de euros, e o resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações (EBITDA) subiu 19,8% para 45,7 milhões de euros.

Os CTT adiantam que a subida dos rendimentos operacionais "reflete o crescimento dos rendimentos em todas as áreas de negócio: Banco CTT (+3,3 milhões de euros), Expresso e Encomendas (+2,9 milhões de euros) e Serviços Financeiros (+0,6 milhões de euros), exceto os da área de Correio, que registaram uma ligeira queda de 0,8%".

Comparado com os primeiros seis meses de 2016, "nota-se algum aumento do peso das áreas de negócio de Expresso e Encomendas e do Banco CTT no total dos rendimentos operacionais recorrentes, com uma pequena redução percentual na área de Correio e estabilização na área de Serviços Financeiros".

Os rendimentos operacionais recorrentes, que exclui os rendimentos e gastos não recorrentes e considera uma taxa de imposto nominal sobre o rendimento, subiram 0,8%.

Os rendimentos do segmento Correio desceu 0,8% para 269,8 milhões de euros, enquanto os relativos ao Expresso e Encomendas aumentaram 4,8% para 62,8 milhões de euros.

Os rendimentos dos Serviços Financeiros aumentaram 1,8% para 32,8 milhões de euros e os do Banco CTT ascenderam a 3,5 milhões de euros.

Em Espanha, a receita do negócio (não inclui clientes internos ao grupo) situou-se em 24 milhões de euros, mais 11,4% do que no período homólogo do ano anterior, "fundamentalmente devido ao crescimento do tráfego de 17,1%".

Os gastos operacionais dos CTT subiram 4,2% para 306,4 milhões de euros: "Este acréscimo incluiu mais 2,6 milhões de euros e mais 4,6 milhões de euros de gastos recorrentes na Transporta e no segmento Banco CTT, respetivamente".

No final de junho, os CTT tinham 12.911 trabalhadores, mais 189 que no primeiro semestre de 2016.

"O primeiro semestre de 2017 confirmou a tendência verificada no primeiro trimestre de crescimento dos rendimentos resultante do desenvolvimento das alavancas dos CTT, as áreas de Expresso e Encomendas e Serviços Financeiros e Banco CTT, vistos de forma integrada", referem.

A empresa refere que a queda do tráfego de correio endereçado de 5,6%, "acima do intervalo esperado (...) coloca alguma pressão adicional para o segundo semestre, mas não indicia para já uma agravamento da tendência de queda de tráfego e tão somente o resultado de efeitos diversos verificados no período".

Os CTT encontram-se a analisar oportunidades de crescimento não orgânicas para consolidar as suas áreas de negócio de aposta em termos de crescimento futuro. A concretização destas oportunidades poderá potenciar o acelerar do crescimento anteriormente referido e maximizar ainda mais as economias de escala e de gama do grupo", concluem os CTT.

Seja sempre o primeiro a saber. Acompanhe o site eleito pela Escolha do Consumidor 2017.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório