Meteorologia

  • 23 SETEMBRO 2019
Tempo
21º
MIN 14º MÁX 25º

Edição

BES: Associação de clientes quer solução "que inclua todos os lesados"

A Associação de Defesa dos Clientes Bancários (ABESD) alertou hoje para a necessidade de ser encontrada uma solução que inclua "todos os lesados e emigrantes do BES/Grupo GES que foram enganados".

BES: Associação de clientes quer solução "que inclua todos os lesados"
Notícias ao Minuto

16:26 - 28/03/17 por Lusa

Economia ABESD

Em declarações à agência Lusa, Luís Janeiro, que representa atualmente cerca de 400 lesados do GES/BES, lamentou que este grupo tenha ficado de fora da solução encontrada pelo Governo para os clientes do BES que adquiriram papel comercial do Grupo Espírito Santo (GES) aos balcões do banco, sublinhando a necessidade "de ser encontrada uma solução que inclua todos os lesados".

O responsável falava no final de uma audiência a pedido pelo grupo parlamentar do PS.

"São clientes que compraram os mesmos produtos, que foram vendidos com a mesma estratégia comercial e em território nacional ainda que se tratassem de clientes da sucursal financeira exterior do BES na Madeira ou que tivessem contas em entidades como o Banque Privée", explica.

"É preciso repor a credibilidade do país. Tratar bem a poupança. Encontrar uma solução que abranja todos", disse

A ABESD aproveitou ainda a iniciativa do grupo parlamentar socialista -- que tem em curso uma ronda de audições a várias entidades do setor bancário - para propor a criação de uma comissão de inquérito à venda fraudulenta ou abusiva de produtos financeiros ('misselling'), depois de terem ocorrido vários casos em Portugal como os do BPN, BES e Banif.

De acordo com Luís Janeiro, a associação tem já um abaixo-assinado com cerca de 5.000 assinaturas que em breve espera entregar na Assembleia da República com vista à criação daquela comissão, tendo também pedido uma audiência à Comissão parlamentar de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa.

Na semana passada, a associação de lesados acusou o Banco de Portugal de "ser fraco com os fortes e forte com os fracos" e de desrespeito pelos pequenos investidores ao não negociar soluções que os compensem pelas perdas sofridas na resolução do BES.

"A ABESD está indignada com o facto de o Banco de Portugal estar a negociar com investidores institucionais a compensação das suas perdas nos produtos de dívida do BES [Banco Espírito Santo] e não ter soluções que contemplem associados, aforradores não qualificados e conservadores que viram as suas poupanças serem consumidas por falta de ação do Banco de Portugal", disse o presidente da associação.

De acordo com a ABESD, o que se passa é que a entidade liderada por Carlos Costa "tem medo dos poderosos advogados dos investidores qualificados internacionais e não tem respeito pelos pequenos aforradores portugueses".

A ABESD representa investidores não qualificados que subscreveram produtos do GES e do BES e que sofreram perdas aquando da resolução do banco, em agosto de 2014.

A ABESD tem vindo a desenvolver vários contactos, nomeadamente com o Governo, Presidência da República e grupos Parlamentares, para expor o seu problema.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório