Meteorologia

  • 17 JULHO 2019
Tempo
18º
MIN 17º MÁX 19º

Edição

PME podem aceder a partir de hoje às linhas de Crédito Capitalizar

As pequenas e médias empresas (PME) podem a partir de hoje recorrer às cinco linhas de Crédito Capitalizar, com um montante global de 1.600 milhões de euros, junto das instituições financeiras, de acordo com o Ministério da Economia.

PME podem aceder a partir de hoje às linhas de Crédito Capitalizar
Notícias ao Minuto

08:16 - 01/02/17 por Lusa

Economia Empresas

Espera-se que o Crédito Capitalizar venha a apoiar cerca de 20 mil empresas.

As linhas Capitalizar foram lançadas a 16 de janeiro e passam agora a estar disponíveis nos bancos que assinaram os protocolos.

A linha de Crédito Capitalizar, que se insere no programa Capitalizar, é gerida pela PME Investimentos em articulação com o Sistema Nacional de Garantia Mútua, destinadas a PME com montantes de financiamento por empresa entre 25 mil e dois milhões de euros e com prazos entre três e 10 anos.

O Crédito Capitalizar está estruturado em cinco linhas: Micro e pequenas empresas; Fundo de maneio; Plafond de tesouraria; Investimento geral; e Investimentos projetos 2020.

A linha Micro e Pequenas Empresas tem uma dotação de 400 milhões de euros e visa potenciar o acesso a financiamento para investimentos em ativos e reforço de capitais, enquanto a de Fundo de Maneiro conta com uma dotação de 700 milhões de euros e tem como objetivo financiar necessidades de fundo de maneio das empresas com financiamentos de médio prazo, em alternativa ao crédito de curto prazo.

Já a linha Plafond de Tesouraria, com uma dotação de 100 milhões de euros, pretende alargar a oferta de crédito em sistema de 'revolving', dando uma maior flexibilidade à gestão corrente de tesouraria, segundo a tutela. A linha Investimento Geral conta também com um orçamento de 100 milhões de euros e visa financiar investimentos em ativos com elevado prazo de recuperação.

Com o montante de 300 milhões de euros, a linha Investimento Projetos 2020 pretende alargar a oferta de crédito bancário para financiamento de projetos aprovados no âmbito do Portugal 2020, com enfoque em despesas elegíveis e outros segmentos de mercado em que a Linha de Crédito e Garantias IFD 2016-2020 possa vir a relevar-se insuficiente, segundo o ministério.

"São linhas que pretendem dar dinheiro às empresas com prazos mais favoráveis do que a banca consegue conceder, como também spreads mais baixos, permitindo assim às empresas, em particular às pequenas e médias empresas financiarem-se num contexto mais amplo do que as linhas que já tínhamos lançado anteriormente", afirmou o ministro à Lusa a 16 de janeiro.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório