Royal Bank chumbado. Gigante escocês tem de aumentar capital

O banco parcialmente detido pelo Estado britânico ainda não recuperou totalmente das fraquezas que levaram à intervenção pública durante o auge da crise económica mundial.

© Reuters
Economia BCE

O Royal Bank of Scotland (RBS) chumbou nos testes de 'stress', segundo anunciou hoje o Banco de Inglaterra, tendo de aumentar o capital em dois mil milhões de libras (2.200 milhões de euros) para reforçar a sua situação financeira.

PUB

O banco central britânico divulgou hoje os resultados dos testes de 'stress' de sete grandes bancos britânicos (Lloyds Banking Group, HSBC, Barclays, RBS, Santander UK, Standard Chartered e Nationwide Building Society), para verificar a sua robustez e resistência face a uma crise financeira global.

O RBS, cujo capital é maioritariamente público (73%), surge na última posição nos testes de 'stress' realizados pelo Banco de Inglaterra, embora se tenham identificados alguns problemas com o Barclays e o Standard Chartered.

No caso do HSBC, Lloyds Banking Group, Nationwide e Santander UK não foram identificados quaisquer problemas ao nível dos testes de 'stress' efetuados pela entidade supervisora e reguladora britânica.

Segundo o relatório do Comité de Política Financeira do Banco de Inglaterra, o Barclays apresentou dificuldades nos testes de 'stress', mas não terá de se submeter a um novo plano para aumentar o seu capital, uma vez que já tomou medidas nesse sentido.

O Standard Chartered, por seu lado, também não terá de adotar mais medidas para aumentar o seu capital, pois já está a trabalhar nesse sentido, segundo o banco central britânico.

Estes são os terceiros testes de 'stress' que o Banco de Inglaterra faz aos principais bancos do país, desde a crise financeira de 2007/2009.

A crise registada nesse período obrigou o Governo trabalhista de então a resgatar algunas instituições financeiras, caso do RBS.

Os testes realizaram-se num momento de grande incerteza para o sistema financeiro britânico por causa das futuras negociações sobre a saída do Reino Unidos da União Europeia.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS