Tecnológica portuguesa colabora com japoneses em refinarias sauditas

Grupo ISQ volta a trabalhar no mercado saudita em projetos de exploração de petróleo, desta vez com clientes do 'país do sol nascente'.

© Grupo ISQ
Economia Matérias-Primas

O maior grupo privado português de prestação de serviços tecnológicos está de volta ao mercado da Arábia Saudita, graças a um contrato assinado com os gigantes japoneses Hitachi e JGC. 

PUB

Em comunicado de imprensa enviado à redação do Economia ao Minuto, o grupo ISQ revela que foi contratado para prestar "serviços nas áreas de RBI (Inspecção Baseada no Risco) e CMP (Planos de Gestão da Corrosão) nas suas unidades na Arábia Saudita", até 2017. 

O acordo prevê o pagamento de 250 mil euros numa primeira fase, mas o valor global do contrato poderá ascender a 800 mil euros em condições não especificadas. 

"O trabalho consiste em identificar os potenciais mecanismos de degradação e falhas dos equipamentos, definindo planos de inspecção e formas de mitigação dos mecanismos de degradação", explica o comunicado do ISQ. 

Recorde-se que a empresa portuguesa faz parte de um grupo de apenas seis empresas do mundo que estão qualificadas para a prestação deste tipo de serviço para a Saudi Aramco, a petrolífera estatal da Arábia Saudita que é a maior companhia do mundo no setor.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS