Meteorologia

  • 22 NOVEMBRO 2019
Tempo
16º
MIN 14º MÁX 18º

Edição

Construção metálica vê Portugal 2020 como oportunidade para aposta no setor

A Associação Portuguesa de Construção Metálica e Mista (APCMM) afirmou hoje esperar que haja um "virar de página" no Portugal 2020 e considerou que o Governo deve apostar na construção metálica em detrimento do betão.

Construção metálica vê Portugal 2020 como oportunidade para aposta no setor
Notícias ao Minuto

12:29 - 26/11/15 por Lusa

Economia Quadro

O quadro comunitário Portugal 2020 "é um campo de oportunidades enorme" para o setor, que pretende aproveitar a reindustrialização do país para ter uma maior presença no mercado nacional, disse à agência Lusa o administrador da APCMM, Filipe Santos.

Segundo o responsável, a aposta no betão tem de ser alterada, esperando-se que o Governo perceba as potencialidades da construção metálica, que garantem flexibilidade, reversibilidade e uma menor pegada ambiental, enquanto outras soluções, nomeadamente o betão armado, não se conseguem "reaproveitar".

Para Filipe Santos, a reabilitação urbana e a reindustrialização da economia portuguesa, presentes no atual quadro comunitário, podem ser vistas como oportunidades de negócio para o setor crescer dentro do país - 80% da produção é exportada.

"Para Portugal ter uma indústria forte precisa de utilizar estruturas para unidades industriais ou edifícios que possam ser flexíveis e desmontáveis", apontou, sublinhando que a construção metálica garante essas valências.

Filipe Santos salienta que no Portugal 2020 esta opção não pode "ser posta de parte", que é o que tem acontecido "quadro após quadro, em que é dada primazia a soluções que não têm qualquer tipo de sustentabilidade".

"O que eu noto é que há alguma falta de informação. As nossas CCDR [Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional] têm pouca preocupação na definição da solução base e o que interessa é a execução. Mas não é isso que interessa a países desenvolvidos", notou. O setor, que representa quase 1% do PIB e que garante cerca de 16 mil postos de trabalho, reclama "uma maior presença no mercado português".

"Andamos preocupados em exportar imenso e o Governo, com a tecnologia cá, não é capaz de perceber esta mais-valia", constatou Filipe Santos, sublinhando que o setor tem "bons equipamentos, bom material técnico" e o que apenas precisa são "oportunidades de negócio".

Filipe Santos falava à margem do arranque do X Congresso de Construção Metálica e Mista, que decorre em Coimbra hoje e sexta-feira, no iParque, contando com diversas palestras de especialistas portugueses e estrangeiros.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório