Meteorologia

  • 18 AGOSTO 2019
Tempo
19º
MIN 19º MÁX 19º

Edição

Como o fim da política chinesa de filho único já agitou as bolsas

Pequim mostra-se disponível para pôr termo a política que dura há décadas.

Como o fim da política chinesa de filho único já agitou as bolsas

Esta semana, o governo de Pequim anunciou que tem planos para alterar as rígidas regras de planeamento familiar aplicadas no país.

O facto de a China ser o país mais populoso do mundo levou Pequim a manter, durante décadas, uma política de filho único, que mereceu críticas em todo o mundo. Numa altura em que o país é um dos mais influentes motores económicos do planeta e as preocupações demográficas do regime começaram a mudar, este anúncio já agitou as bolsas asiáticas.

Conta o The Guardian que o fabricante japonês de preservativos Okamoto Industries, responsável por uma das marcas preferidas dos chineses, sentiu logo uma queda de 10% na bolsa de Tóquio.

Em sentido contrário, empresas que fabricam produtos direcionados para os bebés e crianças sentiram subidas, algumas vertiginosas, como é o caso da China Child Care, que faz artigos de higiene para bebés, subiu 40% na bolsa de Hong Kong esta sexta-feira.

Também em Hong Kong, outra marca chinesa, a Beingmate Baby & Child Food, que produz bens alimentares, subiu 10% na bolsa, já em antecipação a eventual ‘boom’ na natalidade.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório