Meteorologia

  • 20 NOVEMBRO 2019
Tempo
16º
MIN 11º MÁX 16º

Edição

Ainda há margem para aumentar mais os impostos. Recado vem de Bruxelas

Comissão Europeia inclui Portugal num grupo de países com carga fiscal baixa na comparação com a média da UE. Autoridades vêm espaço para aumentar impostos “amigos do crescimento”.

Ainda há margem para aumentar mais os impostos. Recado vem de Bruxelas

Afinal, o “enorme aumento de impostos” da atual legislatura ainda pode ser maior. Num relatório divulgado hoje, a Comissão Europeia garante que existe margem de manobra para fazer crescer alguns impostos em Portugal, uma vez que a carga fiscal é considerada relativamente baixa.

Os impostos sobre o consumo e propriedades e as taxas ambientais são duas áreas identificadas como ideais para um aumento, por serem mais “amigos do crescimento” e “menos nocivos” do que as taxas sobre o trabalho. As taxas sobre os salários são mesmo classificadas como um “carga fiscal relativamente elevada”, que poderá ser reduzida e equilibrada com novos impostos.

Bruxelas está preocupada com o impacto dos impostos nas famílias com rendimentos distintos, identificando uma “potencial necessidade de reduzir a carga fiscal” sobre o elemento do casal com vencimento mais baixo, noticia o Diário Económico.

Portugal surge lado a lado com países como Alemanha, França, Itália e Suécia no estudo da Comissão Europeia, que propõe várias reformas fiscais para os territórios da União Europeia.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório