Meteorologia

  • 22 OUTUBRO 2020
Tempo
16º
MIN 12º MÁX 19º

Edição

CDU não quer mais uma área comercial junto ao IC19

A CDU considerou hoje que a proposta do Plano de Pormenor da Abrunheira Norte (PPAN), que prevê mais uma grande superfície junto ao IC19, vai constituir um exemplo "de pesada densificação do tecido urbano do concelho" de Sintra.

CDU não quer mais uma área comercial junto ao IC19
Notícias ao Minuto

13:35 - 26/11/14 por Lusa

Economia Sintra

"É importante que as pessoas se pronunciem sobre o que pretendem para esta zona, tendo em conta a requalificação e necessidade de equipamentos públicos para melhorar as condições de vida das populações", afirmou à agência Lusa Paula Borges, da coordenadora concelhia da CDU.

A proposta do PPAN, que se encontra em discussão pública, prevê a construção em cerca de 70 hectares, no final do Itinerário Complementar 19 (Lisboa-Sintra), de uma área comercial da Sonae, serviços, hotelaria e parque urbano.

No documento entregue hoje no Espaço do Cidadão, em Sintra, a CDU explicou que o plano propõe "a densificação" de uma área de aproximação à zona classificada como património mundial, que até à aprovação do Plano Diretor Municipal (PDM) "era considerada de proteção e enquadramento, ou seja de solo não urbano".

O PDM de Sintra reclassificou a área para desenvolvimento turístico, com "baixa densidade de ocupação", permitindo construir cerca de 80 fogos, enquanto o PPAN admitirá "cerca de 82.000 metros quadrados de edifícios destinados a comércio e serviços", notou a CDU.

"O IC19 neste momento já está saturado, com o acesso a áreas comerciais existentes na zona, e com este plano as condições de circulação vão ser agravadas para os habitantes destas freguesias", frisou Paula Borges.

Em termos de mobilidade, a situação "será catastrófica", por não ser possível qualquer ligação direta à Autoestrada 16 (Belas-Cascais) e ao IC19, salientou o documento, entregue por autarcas e dirigentes locais da CDU.

A instalação de mais uma área comercial numa zona onde já existem perto de 400.000 metros quadrados deste tipo de atividade, embora produza emprego, "na generalidade precário, leva ao encerramento do comércio local, com consequente aumento do desemprego", lê-se no documento.

A melhoria do enquadramento paisagístico na aproximação à serra prometida pelo PPAN também é recusada, quando só a área comercial criará, "em linha paralela ao sopé da serra, uma fachada com 300 metros de comprimento e nove metros de cércea".

A CDU contestou ainda o objetivo de requalificação da Área Urbana de Génese Ilegal (AUGI) de Colónia e Sesmarias, uma vez que o bairro está legalizado e já "dispõe de equipamento desportivo e espaço verde".

"A inclusão da AUGI na área do plano apenas contribui para atenuar as elevadas densidades construtivas das áreas comerciais e logísticas", considerou.

Para a CDU, o plano não prevê a construção de equipamento público, escolar e de saúde, para servir a população, apesar de se apontar a construção de unidade de saúde privada.

O documento antevê que o plano sirva para a construção do espaço comercial e o adiamento do investimento nos hotéis, na clínica e nas áreas verdes, que inclui um parque temático, "Sintra dos Pequeninos", com miniaturas dos principais monumentos da vila.

O PPAN, em consulta pública até 12 de dezembro, foi apresentado como a "cidade da Sonae" e, segundo um documento da Divisão Municipal de Ambiente, Planeamento e Gestão do Território da Câmara de Sintra, representa um investimento estimado "de 125 milhões de euros", abaixo "dos 1.000 milhões" antes anunciados pelo presidente da Câmara.

Na internet corre uma petição contra a aprovação do plano, por se entender que "o impacto paisagístico das grandes construções em betão é negativo e irreversível no enquadramento da Serra de Sintra".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório