Meteorologia

  • 25 JULHO 2024
Tempo
23º
MIN 19º MÁX 27º

Economia financiou exterior em 3,3% do PIB no ano terminado em março

A economia portuguesa financiou o exterior em 3,3% do Produto Interno Bruto (PIB) nos 12 meses terminados em março, tendo apresentado a maior capacidade de financiamento anual desde 2013, segundo o Banco de Portugal (BdP).

Economia financiou exterior em 3,3% do PIB no ano terminado em março
Notícias ao Minuto

12:13 - 10/07/24 por Lusa

Economia PIB

"No ano acabado no primeiro trimestre de 2024, a economia portuguesa financiou o exterior, em 3,3% do PIB, a maior capacidade de financiamento desde 2013", refere o BdP num comunicado hoje divulgado sobre as interligações entre setores nas contas nacionais financeiras.

O setor financeiro, os particulares e as administrações públicas apresentaram capacidades de financiamento de 2,3%, 2,2% e 0,9% do PIB, respetivamente, no período em análise, enquanto as empresas não financeiras "foram o único setor residente a apresentar uma necessidade de financiamento (2,1% do PIB)".

Já o setor financeiro financiou, em termos líquidos, o resto do mundo em 2,8% do PIB, devendo-se, sobretudo, "à aquisição, no primeiro trimestre de 2024, de títulos de dívida pública de longo prazo emitidos pelo exterior".

As sociedades financeiras, por sua vez, financiaram as empresas não financeiras em 1,4% do PIB, "designadamente, através da aquisição de títulos de dívida e da redução das suas responsabilidades, perante as empresas".

O setor financeiro foi financiado pelos particulares em 1,6% do PIB em termos líquidos "devido ao aumento de ativos dos particulares em depósitos com prazo superior a um ano". Nos 12 meses terminados em março, os particulares financiaram as administrações públicas em 0,6% do PIB, tendo-se reduzido a subscrição de certificados de aforro.

O financiamento líquido das administrações públicas ao exterior foi de 0,9% do PIB, um total influenciado pela redução de responsabilidades em empréstimos (0,5% do PIB) e por títulos de dívida (0,4% do PIB).

O financiamento líquido das administrações públicas às sociedades financeiras (em 0,3% do PIB) foi determinado pela diminuição das responsabilidades em títulos de dívida pública (em 3,8% do PIB), "parcialmente compensada pela diminuição das aplicações em depósitos junto de sociedades financeiras (em 3,6% do PIB)".

O resto do mundo financiou as empresas não financeiras, em termos líquidos, em 0,6% do PIB através da compra, segundo o BdP, por não residentes, de ações e outras participações.

Leia Também: Alemanha cumpre meta de 2% do PIB para defesa mas futuro é incerto

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório