Meteorologia

  • 15 JULHO 2024
Tempo
19º
MIN 18º MÁX 26º

Wall Street interrompe série de recordes ao fechar em terreno misto

A bolsa nova-iorquina, que esteve perto de novos máximos para o Nasdaq e o S&P 500 na primeira metade da sessão de hoje, interrompeu uma série de recordes ao encerrar em terreno misto.

Wall Street interrompe série de recordes ao fechar em terreno misto
Notícias ao Minuto

22:20 - 20/06/24 por Lusa

Economia Wall Street

Os resultados definitivos da sessão indicam que Dow Jones cresceu 0,77%, o índice tecnológico Nasdaq caiu 0,79% e o alargado S&P500 perdeu 0,25%.

Depois de um feriado e de uma série de recordes, o setor de tecnologia 'arrefeceu', como é o caso da Nvidia (-3,54%), fabricante de semicondutores que está na base do crescimento da inteligência artificial (IA) e que caiu após subidas que permitiram chegar ao topo das capitalizações de mercado globais.

O Nasdaq vinha de uma série de sete recordes consecutivos. Já o S&P 500 tinha atingido o 31.º máximo histórico desde o início do ano após o fecho da sessão de terça-feira.

O Dow Jones, no entanto, recuperou hoje, refletindo uma ligeira rotação de investidores, da tecnologia para ações mais tradicionais, como Caterpillar (+1,20%) ou Chevron (+2,13%), passando pela McDonald's (+1,21%) ou Merck (+1,30%).

"Não é incomum que o mercado tenha um dia mau", realçou Steve Sosnick, da Interactive Brokers, referindo-se ao Nasdaq e ao S&P 500.

"O declínio também não é surpreendente e não há razão para pânico. Estamos a testemunhar a realização de lucros", indicou.

O analista destacou que a Nvidia ganhou 20% apenas no mês de junho: "É uma loucura quando pensamos nisso".

A descida da Nvidia teve um efeito de repercussão no Nasdaq, com a Broadcom a perder 3,77%, a Qualcomm -5,12% e a Micron Technology -6,03%.

Já a concorrente AMD, por outro lado, subiu 4,62% e a Salesforce, que oferece 'software' através da 'nuvem' (cloud), que também é equipada com a ferramenta de IA, ganhou 4,31%.

Entre as notícias macroeconómicas, o mercado imobiliário continua a enfraquecer, prejudicado pelas elevadas taxas dos empréstimos imobiliários.

No mercado obrigacionista, as taxas registaram uma ligeira contração após a publicação de pedidos semanais de subsídios de desemprego que foram inferiores ao esperado nos Estados Unidos.

Os novos pedidos de subsídio de desemprego caíram em 5.000 na semana passada, para 238.000. No entanto, a Reserva Federal (Fed) norte-americana aguarda sinais de deterioração no mercado de trabalho antes de começar a baixar as suas taxas.

Uma das empresas que mais caiu hoje foi a Trump Media, ramo de comunicação social do ex-presidente Donald Trump, que caiu 14% depois de já ter caído mais 10% na última sessão, pelo que a sua queda está próxima dos 55% desde o dia 30 de maio, quando foi considerado culpado num tribunal de Nova Iorque por vários crimes de falsificação de documentos.

Por setores, os ganhos foram predominantemente liderados por energia (1,86%) e serviços públicos (0,89%), enquanto a queda mais acentuada foi experimentada por tecnologia (-1,6%).

Entre as 30 maiores empresas listadas no Dow Jones, os maiores avanços foram para Salesforce (4,31%) e Chevron (2,16%); com as quedas mais notáveis para Dow Inc (-2,22%) e Apple (-2,15%).

Leia Também: Euro sobe face ao dólar pela 3.ª sessão consecutiva

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório