Meteorologia

  • 20 JULHO 2024
Tempo
28º
MIN 20º MÁX 28º

Taxa de desemprego da OCDE mantém-se estável nos 4,9% em abril

A taxa de desemprego na OCDE manteve-se estável em abril, nos 4,9%, pelo sexto mês consecutivo, muito próxima do mínimo histórico de 4,8% da série iniciada em 2001, atingido em junho de 2023.

Taxa de desemprego da OCDE mantém-se estável nos 4,9% em abril
Notícias ao Minuto

12:43 - 13/06/24 por Lusa

Economia OCDE

Há dois anos que a taxa de desemprego nos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) se situa, em média, em 5% ou menos.

Segundo os dados divulgados hoje pela organização, em abril a taxa de desemprego manteve-se inalterada em 25 países membros, tendo diminuído em quatro - Colômbia, Áustria, República Checa e Itália - e aumentado em três.

Cinco países registaram uma taxa inferior ou igual a 3%, incluindo o Japão, o México, a Chéquia e a Coreia, enquanto na Colômbia, Grécia e Espanha o desemprego foi superior a 10%.

Em termos absolutos, o número de pessoas desempregadas na OCDE diminuiu ligeiramente em abril, para um total de 34,1 milhões, mantendo-se estável ou recuando em 18 países, com a maior queda a registar-se na Colômbia.

Na União Europeia e na zona euro, a taxa de desemprego permaneceu em mínimos históricos de 6% e 6,4%, respetivamente, tendo-se mantido estável na maioria dos países da OCDE da área do euro. Apenas a Irlanda apresentou um aumento, enquanto a Áustria e a Itália registaram diminuições.

Fora da Europa, as taxas de desemprego em abril mantiveram-se estáveis ou aumentaram em todos os países da OCDE, exceto na Colômbia. No Canadá e nos Estados Unidos permaneceram globalmente estáveis em maio, nos 6,2% e 4%, respetivamente.

Em abril, taxa de desemprego da OCDE manteve-se globalmente estável para homens e mulheres, situando-se em 5,1% e 4,7%, respetivamente.

Já a taxa de desemprego dos jovens (15-24 anos) permaneceu elevada, acima de 20%, em nove países da OCDE em abril (ou no último período disponível). Alguns países, como a Irlanda, a Lituânia, a Nova Zelândia e a Noruega, registaram um aumento acentuado de mais de um ponto percentual.

Leia Também: PIB do G20 cresce 3,3% no 1.º trimestre em termos homólogos

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório