Meteorologia

  • 21 JUNHO 2024
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 24º

Wall Street inicia sessão em baixa após crescimento mais fraco da economia

A bolsa de Nova Iorque seguia hoje no 'vermelho' no início da sessão, após ter sido divulgado que o PIB teve um crescimento modesto no primeiro trimestre e de a Fed se mostrar mais pessimista sobre a economia.

Wall Street inicia sessão em baixa após crescimento mais fraco da economia
Notícias ao Minuto

15:56 - 30/05/24 por Lusa

Economia Bolsas

Às 14h50 (hora de Lisboa), o índice Dow Jones recuava 0,99% para 38.062,54 pontos e o Nasdaq, dominado por tecnológicas, perdia 0,20% para 16.886,22 pontos.

O índice alargado S&P 500, considerado o mais representativo do mercado, descia 0,27% para 5.252,83 pontos.

A pressionar o comportamento da bolsa nova iorquina estão os dados do Departamento do Comércio norte-americano hoje divulgados que indicam que a economia registou um crescimento de 1,3% no primeiro trimestre deste ano, a taxa trimestral mais fraca desde a primavera de 2022, e uma revisão em baixa face aos 1,6% esperados.

Além disto, a tecnológica norte-americana Salesforce registou hoje uma quebra de 18% após ter apresentado resultados trimestrais priores do que o esperado e perspetivas de crescimento que dececionaram o mercado.

Na sessão anterior a bolsa de Nova Iorque encerrou em terreno negativo afetada pela perspetiva cada vez mais longínqua da data para a primeira descida das taxas de juro.

Na terça-feira, o presidente do banco da Reserva Federal (Fed) de Minneapolis, Neel Kashkari, afirmou que nenhum membro do banco central "excluiu totalmente a possibilidade de uma subida das taxas de juro", sublinhou Chris Low, da FHN Financial, citado pela AFP.

Num evento em Bruxelas este mês, o presidente da Fed, Jerome Powell, reiterou que é "provável" que a sua instituição mantenha as taxas no seu nível atual na próxima reunião de 11 e 12 de junho, e insistiu que estas deverão permanecer elevadas durante mais tempo do que o previsto.

As taxas situam-se atualmente no intervalo de 5,25% a 5,5%, o nível mais elevado dos últimos 23 anos. Estão neste nível desde julho do ano passado, após onze subidas desde março de 2022 e as expectativas dos mercados apontam agora para que tenha de ser necessário esperar até novembro para se poder assistir à primeira redução das taxas.

Esta quarta-feira, através do Livro Bege, Reserva Federal norte-americana (Fed) manifestou-se também mais pessimista quanto à economia dos EUA, admitindo "maiores riscos".

A Fed refere que a atividade energética permaneceu praticamente estável, enquanto o balanço do setor agrícola foi misto, uma vez que as condições de seca diminuíram em alguns distritos.

No entanto, as finanças e os rendimentos agrícolas continuam a ser "uma preocupação", segundo o documento.

Leia Também: Wall Street em baixa afetada pela subida dos rendimentos das obrigações

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório