Meteorologia

  • 24 JUNHO 2024
Tempo
19º
MIN 17º MÁX 29º

Rendas de deslocados em trabalho a mais de 100 km poderão ser deduzidas

As pessoas que tenham de ir trabalhar para mais de 100 quilómetros e queiram rentabilizar a sua habitação vão poder deduzir a este rendimento a renda da casa junto ao novo emprego, aprovou hoje o Conselho de Ministros.

Rendas de deslocados em trabalho a mais de 100 km poderão ser deduzidas
Notícias ao Minuto

18:16 - 27/05/24 por Lusa

Economia Rendas

Em causa está uma proposta de lei hoje aprovada pelo Governo que, segundo referiu o ministro da Presidência, António Leitão Amaro, visa eliminar desincentivos à mobilidade laboral, criando uma neutralidade entre o que se recebe de renda da casa que se deixa e a renda que se paga pela casa que tenha de se arrendar.

"Quando alguém tiver de ir trabalhar para um local a mais de 100 quilómetros de casa e ao sair arrenda a sua casa a um terceiro e tenha de arrendar [uma nova] casa, permitimos que a renda paga seja deduzida à que se recebe na casa de origem", referiu o ministro.

Desta forma, o IRS pago pela renda recebida incidirá apenas sobre o que restar após a dedução da casa arrendada no novo local de trabalho, criando-se uma situação de neutralidade.

O ministro referiu que não estão previstos limites aos valores que se podem deduzir uma vez que a medida tem como limite o valor da renda que se vai pagar e o rendimento gerado pela casa que se tem.

Exemplificando: se uma pessoa arrenda a sua casa em Lisboa por 1.000 euros e for trabalhar para Coimbra onde passa a viver numa casa arrendada por 700 euros, irá ser tributado em IRS sobre os 300 euros mensais de renda que recebe a mais do que paga.

No limite, se arrendar a casa que deixa por 1.000 euros e arrendar outra no novo local de trabalho também por 1.000 euros, não haverá lugar ao pagamento de imposto porque o que se paga deduz integralmente o que se recebe.

Trata-se, disse Leitão Amaro, de "uma medida que tende a procurar ser neutralizadora do impacto fiscal da mudança de trabalho", procurando desta forma "incentivar essa mobilidade ou eliminar os desincentivos à mobilidade".

Leia Também: Santander aprova proposta de aplicação dos resultados de 2023

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório