Meteorologia

  • 19 JUNHO 2024
Tempo
19º
MIN 13º MÁX 21º

Wall Street fecha em alta a prolongar bom momento de Nasdaq e S&P500

A bolsa nova-iorquina encerrou hoje em alta ligeira, mantendo-se positiva depois de uma semana de ganhos e no início de outra importante para a política monetária e os mercados bolsistas.

Wall Street fecha em alta a prolongar bom momento de Nasdaq e S&P500
Notícias ao Minuto

22:56 - 29/04/24 por Lusa

Economia Mercado

Os resultados definitivos da sessão indicam que o índice seletivo Dow Jones Industrial Average ganhou 0,38%, o tecnológico Nasdaq subiu 0,35% e o alargado S&P500 progrediu 0,32%.

A semana passada tinha sido "uma boa semana para a bolsa. Com efeito, foi a melhor semana do S&P500 e do Nasdaq desde novembro", apontou Patrick O'Hare, da Briefing.com.

Então, o S&P500 valorizou 2,7% e o Nasdaq 4,2%, com o Dow Jones a subir 0,7%.

Hoje, a vedeta da praça foi a Tesla.

A ação do construtor de veículos elétricos avançou 15,31%, para 194,05 dólares, no que é o seu nível mais elevado desde há dois meses.

Este desempenho ocorre depois de, até à semana passada, a Tesla ter perdido mais de 40% desde o início do ano.

A adesão entusiástica dos investidores seguiu-se a uma viagem-relâmpago de Elon Musk a Pequim durante este fim de semana, onde se reuniu com o primeiro-ministro, Li Qiang, e obteve uma autorização das autoridades sobre a segurança dos dados incorporados dos seus veículos.

Musk está assim em vias de obter a autorização para a utilização da sua funcionalidade de "conduta totalmente autónoma" (Full Self Driving), graças a uma parceria com o conglomerado local da internet, Baidu, para os mapas e a navegação.

"Foi uma viragem importante para Musk e também para Pequim, no momento em que a Tesla esta confrontada com uma concorrência nacional massiva em matéria de veículos elétricos na China e com uma procura mais fraco", comentou Dan Ives, da Wedbush.

Na frente macroeconómica, a semana vai ser dominada pela reunião da Reserva Federal (Fed) sobre política monetária, no final da qual, na quarta-feira, vai ser emitido um comunicado.

Os investidores não estão à espera de uma baixa da taxa de juro de referência, dada a persistência da inflação em março, em que alcançou os 2,7%, em termos anuais, segundo o índice PCE.

O comunicado "vai ser dissecado para discernir as alterações de linguagem, quando é atribuída uma probabilidade de 97% à manutenção da taxa de juro pela Fed", comentou Art Hogan, da B. Riley Wealth Management.

"A conferência de imprensa do presidente [da Fed] Jerome Powell vai ser acompanhada de muito perto, para procurar qualquer sinal que indique o início da baixa da taxa de juro", acrescentou o analista.

Leia Também: Wall Street inicia em alta semana marcada pela Fed e outros resultados

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório