Meteorologia

  • 21 ABRIL 2024
Tempo
18º
MIN 15º MÁX 24º

Powell confirma corte dos juros nos próximos meses e nega influências

O presidente da Reserva Federal norte-americana, Jerome Powell, confirmou hoje que haverá cortes nas taxas de juro nos próximos meses e rejeitou que estejam relacionados com questões políticas.

Powell confirma corte dos juros nos próximos meses e nega influências
Notícias ao Minuto

19:46 - 03/04/24 por Lusa

Economia Juros

Washington, 03 abr 2024 (Lusa) - O presidente da Reserva Federal norte-americana, Jerome Powell, confirmou hoje que haverá cortes nas taxas de juro nos próximos meses e rejeitou que estejam relacionados com questões políticas.

"Se a economia evoluir como esperamos, a maioria dos participantes do Comité Federal de Mercado Aberto (FOMC, na sigla em inglês) acredita que provavelmente será apropriado começar a reduzir a taxa de juros ainda este ano", disse num evento na Universidade de Stanford, nos Estados Unidos.

Powell confirmou assim a posição expressa pela Reserva Federal norte-americana (Fed) nas últimas reuniões: o objetivo de reduzir a inflação para 2% está perto de ser alcançado, mas ainda não se atingiu a meta.

Os recentes dados económicos "não alteram o quadro geral", que "continua a ser de crescimento sólido, um mercado de trabalho forte e uma inflação a cair para 2% numa trajetória por vezes acidentada", elencou.

Em fevereiro, a inflação homóloga norte-americana subiu uma décima face a janeiro e fixou-se em 3,2%.

O presidente da Fed afastou-se, no entanto, dos discursos habituais para defender a independência do regulador e alegou que a Reserva "cumpre mandatos longos que não estão sincronizados com os ciclos eleitorais".

Os cortes nas taxas - que desde julho do ano passado se situam num intervalo entre 5,25% a 5,5%, o nível mais alto desde 2001 - poderão ocorrer nos meses anteriores às eleições norte-americanas de 05 de novembro, o que alguns críticos consideram que poderia beneficiar o presidente e candidato democrata Joe Biden.

"O Congresso concedeu à Reserva Federal um grau substancial de independência na condução da nossa política monetária (...) e esta independência permite e exige que tomemos as nossas decisões sem considerar questões políticas de curto prazo", defendeu.

Embora não o tenha mencionado no seu discurso, Powell defendeu-se assim das acusações do ex-Presidente Donald Trump (2017-2021), que numa entrevista à Fox News há algumas semanas o acusou de ser "político" e de ajudar o Partido Democrata nas eleições de 2024.

O presidente da Fed foi nomeado por Donald Trump em 2017, que na entrevista confirmou que se vencer as eleições de 05 de novembro não o nomeará novamente.

Powell insistiu que na Fed "a independência é essencial" e que as suas análises "estão livres de qualquer preconceito pessoal ou político" e as decisões irão refletir "sempre a avaliação cuidadosa do que é melhor para a economia a médio e longo prazo e nada mais".

Leia Também: Reserva Federal diz que inflação ainda continua muito elevada nos EUA

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório