Meteorologia

  • 21 JULHO 2024
Tempo
19º
MIN 17º MÁX 25º

Petrobras pede confiança a investidores após queda na bolsa

O presidente da Petrobras pediu hoje aos investidores que mantenham a confiança na estratégia de longo prazo da petrolífera brasileira, num dia em que as ações então em queda após o anúncio da redução da distribuição de dividendos.

Petrobras pede confiança a investidores após queda na bolsa
Notícias ao Minuto

18:26 - 08/03/24 por Lusa

Economia Petrobras

Jean Paul Prates, numa conferência telefónica com investidores, explicou que a decisão do conselho de administração de pagar o nível mínimo de dividendos após os lucros mais reduzidos de 2023 deveu-se à necessidade de reservar recursos para remunerar os investidores nos próximos anos, já que a empresa terá de dar prioridade aos investimentos.

De acordo com o responsável da petrolífera brasileira, essa decisão garante que a empresa tenha uma reserva financeira para remunerar os investidores no futuro.

A decisão da petrolífera de minimizar os dividendos provocou uma forte queda das acções da empresa nas bolsas de São Paulo, Madrid e Nova Iorque.

Ao meio-dia de hoje, as ações ordinárias da Petrobras caíam 12% e as ações preferenciais 10,75% na bolsa de São Paulo, depois de terem iniciado o dia com quedas de até 14%.

A petrolífera indicou na véspera que no ano passado registou um lucro líquido de 124,606 mil milhões de reais (23,06 mil milhões de euros), menos 33,8% do que o lucro recorde de 2022.

Apesar dessa redução, o lucro foi o segundo maior da história da empresa.

Na sequência do anúncio dos resultados, o conselho de administração da empresa decidiu que os dividendos para 2023 serão limitados a 72,4 mil milhões de reais (13,29 mil milhões de euros), contra os 194 mil milhões de reais (35,59 mil milhões de euros) que distribuiu em 2023.

"O objetivo é preservar o capital da empresa e o fluxo de caixa. O recurso para a reserva não pode ser usado para investimento. É para pagamento de dividendos. A apuração de dividendos extraordinários será sempre no fim do ano", disse o diretor financeiro da Petrobras, Sergio Leite, citado pelo jornal O GLOBO.

Sérgio Leite explicou que a empresa tinha capacidade para distribuir mais em dividendos extraordinários, mas que o conselho de administração preferiu destinar esses recursos a um fundo de reserva.

Leia Também: Petrobras vai explorar 3 blocos de petróleo em São Tomé e Príncipe

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório