Meteorologia

  • 25 ABRIL 2024
Tempo
19º
MIN 13º MÁX 19º

Congresso da CGTP arranca hoje com renovação de um quarto dos dirigentes

O XV congresso da CGTP começa hoje, no Seixal, e será marcado pela renovação de um quarto dos dirigentes, incluindo a secretária-geral, Isabel Camarinha, que será substituída no cargo por Tiago Oliveira.

Congresso da CGTP arranca hoje com renovação de um quarto dos dirigentes
Notícias ao Minuto

07:31 - 23/02/24 por Lusa

Economia CGTP

A reunião magna da intersindical, que tem como lema "Com os Trabalhadores, Organização, Unidade e Luta! Garantir Direitos, Combater a Exploração - Afirmar Abril por um Portugal com Futuro" arranca esta manhã no pavilhão municipal da Torre da Marinha e decorre até sábado, estando previsto um desfile de trabalhadores e sindicalistas antes do início dos trabalhos.

A lista do Conselho Nacional da CGTP a eleger no congresso prevê a renovação de 39 dirigentes sindicais dos 147 que integram este órgão, dos quais 19 estão de saída por terem atingido o limite de idade para acesso aos corpos sociais, como é o caso de Isabel Camarinha.

Os outros 20 dirigentes saem do Conselho Nacional por outros motivos, nomeadamente alteração de responsabilidades nas direções de estruturas sindicais.

Entre os dirigentes que vão sair da Comissão Executiva da CGTP por motivo de idade estão, além de Isabel Camarinha, Mário Nogueira (líder da Fenprof - Federação Nacional dos Professores), Libério Domingues (ex-coordenador da União de Sindicatos de Lisboa), José Manuel Oliveira (coordenador da Fectrans - Federação dos Sindicatos dos Transportes e Comunicações) ou Vivalda Silva (dirigente do STAD - Sindicato dos Trabalhadores de Serviços de Portaria, Vigilância, Limpeza, Domésticas e Atividades Diversas).

Assim que for eleito no congresso, o novo Conselho Nacional tem a responsabilidade de eleger a Comissão Executiva, composta por 29 membros, e o próximo secretário-geral da intersindical, que será Tiago Oliveira, coordenador da União de Sindicatos do Porto.

A intervenção inaugural do congresso pertence a Isabel Camarinha e os 720 delegados definirão depois as linhas gerais de orientação para o quadriénio 2024-2028, com a estratégia sindical expressa no programa de ação.

Já a primeira intervenção do novo secretário-geral, que será eleito ainda esta noite, está prevista para a reta final do congresso, na tarde de sábado.

A Comissão Executiva da CGTP anunciou no dia 19 que vai propor Tiago Oliveira para suceder a Isabel Camarinha no cargo de secretário-geral da intersindical.

Tiago Oliveira, 43 anos, é mecânico de pesados na empresa Auto-Sueco, dirigente sindical desde 2006 e coordenador da União de Sindicatos do Porto desde 2016.

Próximo do PCP, Tiago Oliveira integra o comité central do partido e nas últimas eleições autárquicas foi eleito pela CDU para a assembleia de freguesia de São Mamede de Infesta e Senhora da Hora (concelho de Matosinhos, distrito do Porto).

A CGTP tem uma regra que impede os sindicalistas de se candidatarem a um novo mandato quando têm a perspetiva de atingir a idade de reforma nos quatro anos seguintes.

Tiago Oliveira poderá assim fazer mais do que um mandato como líder da CGTP, tendo uma margem de progressão na intersindical de 20 anos.

Segundo dados apresentados pela CGTP no anterior congresso, em fevereiro 2020, a intersindical representa mais de 556 mil trabalhadores em todo o país.

A CGTP é constituída por 10 federações sindicais, 22 uniões e 79 sindicatos filiados. Agrega ainda cerca de 40 sindicatos que, não sendo filiados, convergem com a intersindical na ação face a objetivos comuns, segundo dados da intersindical.

Leia Também: Agricultores recebem esta sexta-feira pagamento de quatro medidas

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório