Meteorologia

  • 15 ABRIL 2024
Tempo
13º
MIN 13º MÁX 24º

Risco de pobreza entre desempregados é 5 vezes maior face aos empregados

Dados foram divulgados pelo INE.

Risco de pobreza entre desempregados é 5 vezes maior face aos empregados
Notícias ao Minuto

11:06 - 20/02/24 por Notícias ao Minuto

Economia INE

O risco de pobreza da população desempregada foi cinco vezes o da população empregada em 2022, de acordo com os dados divulgados, esta terça-feira, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

"A taxa de risco de pobreza para a população desempregada ascendeu, em 2022, a 46,7%, significativamente superior à da população empregada, que foi de 10,0%", pode ler-se no relatório do INE. 

De acordo com esses resultados, 17,0% das pessoas estavam em risco de pobreza em 2022

Para a população reformada, a taxa de risco de pobreza situou-se nos 15,4% e para as restantes pessoas inativas foi de 31,2%.

"Em relação a 2021, a taxa de risco de pobreza apenas diminuiu para a população empregada, tendo aumentado para a população desempregada e inativa. É também na população desempregada que a intensidade da pobreza e a desigualdade na distribuição do rendimento são mais elevadas. Entre a população empregada, os dados revelam que a pobreza é menor para os indivíduos empregados no setor público e para os indivíduos muito satisfeitos com o emprego", pode ler-se. 

E mais: os dados revelam uma relação positiva entre a escolaridade e a redução da pobreza: enquanto 22,6% da população que tinha concluído, no máximo, o ensino básico era pobre, o risco de pobreza foi de apenas 13,5% entre a população que tinha terminado o ensino secundário ou pós-secundário e 5,8% entre a que tinha concluído o ensino superior.

Em relação ao ano anterior, destaca-se o aumento da taxa de pobreza das pessoas que concluíram, no máximo, o ensino básico.

Leia Também: Desemprego registado acelera. Já há mais de 335 mil inscritos

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório