Meteorologia

  • 18 ABRIL 2024
Tempo
19º
MIN 16º MÁX 25º

Moody's avisa que economia mexicana está cada vez mais desequilibrada

A agência de notação financeira Moody's advertiu hoje que a economia mexicana está a ficar com desequilíbrios internos e externos crescentes, quando decorre o último ano da presidência de Andrés Manuel Lopez Obrador.

Moody's avisa que economia mexicana está cada vez mais desequilibrada
Notícias ao Minuto

23:33 - 04/01/24 por Lusa

Economia Moody's

"Os desequilíbrios atuais superaram os da última grande crise de fim de sexénio, em finais de 1994, se bem que as condições atuais sejam diferentes. Reduzir a vulnerabilidade económica requer ajustes de política económica no curto prazo", indicou a Moody's Analytics em relatório.

A análise documenta um excesso de procura, que equivale a cerca de 6,5% do Produto Interno Bruto (PIB), acima dos 4% de 1994, quando acabou a presidência de Carlos Salinas de Gortari (1988-1994) perante uma crise económica.

Por outro lado, o défice externo foi quantificado um pouco acima dos 7% do PIB, comparados com 4% em 1994.

"Quando uma economia sofre um excesso de procura durante um período prolongado, a produção nacional não consegue satisfazer a procura interna, pelo que o dito excesso tende a refletir-se em inflação e desequilíbrio externo", detalhou a Moody's.

A agência considerou que "a maior pressão do consumo forçou a economia a um desempenho acima da sua capacidade produtiva".

A situação foi atribuída pela agência de 'rating' à continuação da política monetária expansiva, somada às transferências monetárias do governo, à política de aumento do salário mínimo acima da inflação e ao crescente volume de remessas externas.

"A expansão da procura interna, provocada em particular pela aceleração do consumo, alimentou os preços internos e impulsionou a inflação para um máximo de 8,7% em 2022", acrescentou.

A Moody's também atribuiu o crescente desequilíbrio externo ao fortalecimento do peso mexicano, que teve uma apreciação recorde de quase 13% em 2023.

Acentuou ainda que dos quase cinco pontos percentuais do PIB que a procura interna ganhou nos últimos cinco anos, quase três foram cobertos pelas importações.

Por fim, a Moody's considerou que o programa orçamental expansivo aprovado pelo governo de Lopez Obrador para 2024, ano de eleições presidenciais, "poderia alimentar ainda mais a procura interna e aumentar o excesso de procura, com consequências relevantes no aumento do desequilibro externo".

Para a Moody's, em conclusão, "isto pode aumentar anda mais a vulnerabilidade da economia mexicana".

Leia Também: Cartel de droga do México obriga habitantes a pagar por uso de Wi-Fi

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório