Meteorologia

  • 21 FEVEREIRO 2024
Tempo
20º
MIN 10º MÁX 20º

China reduz em 25% preço para processar vistos de viagem

As embaixadas e consulados chineses vão reduzir o custo para processamento de vistos em 25%, até ao final de 2024, numa altura em que a China tenta atrair turistas estrangeiros, após ter encerrado as fronteiras durante três anos.

China reduz em 25% preço para processar vistos de viagem
Notícias ao Minuto

11:49 - 08/12/23 por Lusa

Economia China

A medida visa "promover o intercâmbio transfronteiriço de pessoal", lê-se num comunicado publicado na conta dos Assuntos Consulares da China, na rede social WeChat.

No mês passado, a China anunciou que os cidadãos de cinco países da União Europeia -- Alemanha, Espanha, França, Itália e Países Baixos -- vão passar a ter isenção de visto para estadias de até 15 dias no país.

Esta medida temporária vigora entre 1 de dezembro de 2023 e 30 de novembro de 2024.

A decisão surge quase um ano após a China ter abdicado da política de 'zero casos' de covid-19.

Ao abrigo daquela estratégia, o país manteve as fronteiras praticamente encerradas durante quase três anos: quem chegava do exterior tinha que cumprir um período de quarentena de até 21 dias, em hotéis designados pelo governo, enquanto o número de ligações aéreas ao país foi reduzido a 2%, face ao período anterior à pandemia.

No entanto, dados regionais mostram que o número de visitantes continua muito aquém do nível de 2019. A China não publica estatísticas oficiais sobre o turismo a nível nacional desde 2021.

Xangai, um dos principais destinos turísticos do país, recebeu cerca de 756 mil visitantes estrangeiros no primeiro semestre do ano, o que corresponde a 22% do número de visitas registado em 2019.

Em Pequim, guias turísticos ouvidos pela Lusa estimaram que o número de estrangeiros a visitar a cidade ronda também os 20%, face a 2019.

Especialistas citados pela imprensa chinesa afirmaram que a morosidade dos procedimentos de pedido de visto e o preço dos bilhetes de avião são as principais razões pelas quais o turismo estrangeiro ainda não atingiu os níveis anteriores à pandemia.

A China tomou outras medidas este ano para impulsionar o número de visitas ao país. As carteiras digitais WeChat Pay e Alipay anunciaram, em julho passado, que os seus sistemas de pagamento estão disponíveis para utilizadores estrangeiros que visitam o país e que, por vezes, têm dificuldade em realizar pagamentos e usar determinados serviços.

Leia Também: PC Chinês promete estimular consumo doméstico para impulsionar economia

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório