Meteorologia

  • 02 MARçO 2024
Tempo
11º
MIN 10º MÁX 14º

Wall Street fecha em baixa a ceder a receios de arrefecimento económico

A bolsa nova-iorquina encerrou hoje em baixa, depois de ter começado com ganhos graças a notícias sobre o emprego consideradas boas, a ceder a receios de a economia arrefecer mais do que o esperado.

Wall Street fecha em baixa a ceder a receios de arrefecimento económico
Notícias ao Minuto

23:27 - 06/12/23 por Lusa

Economia Bolsas

Os resultados definitivos da sessão indicam que o índice seletivo Dow Jones Industrial Average cedeu 0,19%, o tecnológico Nasdaq recuou 0,58% e o alargado S&P500 perdeu 0,39%.

Custos do emprego mais baixos, melhor produtividade no terceiro trimestre e um mercado de trabalho a arrefecer - esta informação que é sinónimo de um menor risco de inflação começou por animar a bolsa na primeira parte da sessão.

Mas a tendência inverteu-se depois de uma forte descida das cotações do petróleo, com os investidores a recearem uma degradação da conjuntura e da procura.

Pela primeira vez desde há cinco meses, o West Texas Intermediate fechou hoje abaixo dos 70 dólares.

Isto arrastou os títulos do setor, com, por exemplo, a ExxonMobil a ceder 1,26% e a Conocophillips 2,25%, o que puxou para terreno negativo o Dow Jones e o S&P 500.

"Há uma inquietação crescente que se assista a uma aterragem brutal da economia durante este trimestre ou no início do ano, o que se refletiu na cotação do petróleo", disse Hugh Johnson, da Hugh Johnson Economics.

O setor tecnológico foi outra lanterna vermelha do S&P, ao ceder 0,93%.

"Talvez a realidade comece a instalar-se com a ideia de que a economia está a arrefecer, talvez demais, o que pdo causar problemas no setor dos serviços", indicou, por seu lado, Peter Cardillo, da Spartan Capital, à AFP.

Os investidores estão também a resguardar-se, à espera das estatísticas sobre o emprego, esperadas para sexta-feira. Os analistas esperam a criação de 175 mil empregos em novembro, segundo a Briefing.com, depois de 150 mil no mês anterior, e uma taxa de desemprego estável em 3,9%.

O inquérito mensal da ADP/Stanford Lab deu uma antecipação, com números sobre o setor privado. Foram criados 103 mil empregos, abaixo dos 127 mil esperados pelos analistas.

Por outro lado, a subida dos salários no setor privado foi a mais lenta em dois anos, com 5,6% em ritmo anual.

Estes dados vão no sentido do combate à inflação pela Reserva Federal (Fed) e são reforçados por uma viva revisão em alta da produtividade no terceiro trimestre (5,2%), acompanhada por uma nítida descida do custo unitário do emprego, que recuou 1,2%.

Estes dois números "vão na boa direção, no que respeita aos objetivos da Fed, o que significa que a taxa [de juro de referência da Fed] deve continuar a evoluir na boa direção para o mercado", comentou Patrick O'Hare.

Leia Também: Wall Street sobe após sinais de abrandamento do mercado laboral

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório