Meteorologia

  • 27 FEVEREIRO 2024
Tempo
10º
MIN 9º MÁX 14º

Fernando Medina defende "sistema fiscal justo, transparente e eficiente"

O ministro das Finanças defendeu hoje, na abertura do fórum mundial da OCDE sobre transparência e troca de informações para fins fiscais, em Lisboa, que um sistema fiscal justo e transparente é condição necessária para um crescimento sustentável.

Fernando Medina defende "sistema fiscal justo, transparente e eficiente"
Notícias ao Minuto

10:13 - 29/11/23 por Lusa

Economia Medina

"Um sistema fiscal justo, transparente e eficiente é necessário para uma estratégia de crescimento sustentável", realçou Fernando Medina, durante a intervenção na abertura do fórum da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), que se realiza em Lisboa até sexta-feira.

Em debate estão os desenvolvimentos na luta contra a evasão fiscal 'offshore' e o encontro conta com a participação de ministros, autoridades de alto nível e delegados dos 169 membros do Fórum Mundial, países não-membros, organizações internacionais, universidades e representantes da sociedade civil.

"Enfrentamos uma variedade de desafios, como as crescentes tensões geopolíticas e o redesenho do mapa energético, a relocalização das cadeias de fornecimento, as tendências demográficas divergentes e o desenvolvimento rápido das inovações tecnológicas. [...] A cooperação internacional em matéria fiscal desempenha um papel fundamental neste ambiente complexo. É justo dizer que, mais do que nunca, precisamos de trabalhar juntos", salientou o ministro das Finanças.

O arranque desta reunião aconteceu no mesmo dia em que a OCDE divulgou as suas previsões económicas, estimando uma redução da inflação em Portugal para 3,3% em 2024 e 2,4% em 2025.

A OCDE reviu ainda em baixa o crescimento económico português para 2,2% este ano.

Também hoje, o jornal Eco avançou que Fernando Medina, o ex-ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, e o ministro do Ambiente, Duarte Cordeiro, foram ilibados pelo Ministério Público no caso dos alegados ajustes diretos irregulares e eventual violação das regras da contratação pública.

A Lusa tentou obter uma reação de Fernando Medina sobre estes temas à saída da reunião da OCDE, mas o ministro não quis falar à comunicação social.

Leia Também: Alheira de Mirandela considera IVA a 13% "uma vitória"

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório