Meteorologia

  • 18 ABRIL 2024
Tempo
18º
MIN 16º MÁX 25º

Novo aeroporto? NAV Portugal afirma que "o momento" exige paciência

O administrador da NAV Portugal Pedro Ângelo defendeu hoje que a crise política não deverá afetar o trabalho de localização do novo aeroporto, considerando que o momento exige paciência a quem esperou 50 anos por uma solução.

Novo aeroporto? NAV Portugal afirma que "o momento" exige paciência
Notícias ao Minuto

20:57 - 09/11/23 por Lusa

Economia Pedro Ângelo

"O momento também nos exige a todos os intervenientes que sejamos pacientes e quem soube esperar 50 anos por uma decisão relativamente à localização do novo aeroporto de Lisboa, acho que poderá ser paciente e esperar mais alguns meses", disse Pedro Ângelo.

O responsável, que falava à agência Lusa à margem das conferências que decorreram no primeiro dia do Portugal Air Summit, em Ponte de Sor (Portalegre), defendeu que o trabalho desenvolvido no último ano em relação à localização do novo aeroporto deverá ser aproveitado.

"Acho que aquilo que deve ser feito é não desaproveitar nem desmerecer o trabalho que foi feito ao longo do último ano", defendeu.

Pedro Ângelo, que diz estar em "processo de indigitação" como presidente da Navegação Aérea de Portugal - NAV Portugal, sublinhou que aquela entidade "é um bocadinho alheia" aos processos de decisão em relação à localização do novo aeroporto.

"Aquilo que nós temos feito é prestar todos os esclarecimentos e todo apoio e suporte técnico à comissão técnica independente que irá elaborar tanto quanto sabemos até ao final deste ano o relatório final sobre as diferentes operações estratégicas. Aquilo que nós fizemos foi avaliar as mesmas, vantagens e inconvenientes em cada uma delas e submetemos a nossa análise à comissão técnica independente", disse.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, anunciou hoje que irá dissolver a Assembleia da República e convocar eleições antecipadas para 10 de março de 2024, mas só publicará o decreto depois da aprovação final global do Orçamento do Estado para 2024 (OE2024), marcada para 29 de novembro, que tem aprovação garantida devido à maioria absoluta do PS.

O primeiro-ministro, António Costa, pediu na terça-feira a demissão ao Presidente da República.

António Costa é alvo de uma investigação do Ministério Público no Supremo Tribunal de Justiça, após suspeitos num processo relacionado com negócios sobre o lítio, o hidrogénio verde e o 'data center' de Sines terem invocado o seu nome como tendo intervindo para desbloquear procedimentos.

No dia da demissão, António Costa recusou a prática "de qualquer ato ilícito ou censurável" e manifestou total disponibilidade para colaborar com a justiça. 

Leia Também: Tráfego aéreo em Portugal deve crescer este ano 3% (face a 2019)

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório