Meteorologia

  • 24 JULHO 2024
Tempo
21º
MIN 20º MÁX 38º

Frente Comum quer progressão com quatro pontos na avaliação de desempenho

A Frente Comum de sindicatos da administração pública vai propor ao Governo alterações ao sistema de avaliação de desempenho, exigindo que haja progressão quando o trabalhador reunir quatro pontos na classificação, metade dos propostos pelo executivo.

Frente Comum quer progressão com quatro pontos na avaliação de desempenho
Notícias ao Minuto

16:26 - 23/10/23 por Lusa

Economia Frente Comum

"Continuamos a exigir a revogação do SIADAP [Sistema Integrado de Avaliação de Desempenho da Administração Pública] por entendermos que é um sistema irreformável", começou por sublinhar o líder da Frente Comum, Sebastião Santana, em declarações à Lusa.

Porém, numa altura em que a revisão do sistema de avaliação de desempenho está em discussão entre as estruturas sindicais e o Governo, a Frente Comum enviou uma proposta ao executivo para "expurgar o que de pior o SIADAP tem".

"Na nossa proposta de articulado retiram-se as quotas, estabelece-se como limite máximo para mudança de posição remuneratória quatro pontos, em vez dos oito propostos pelo Governo, e a garantia de que todos os trabalhadores, independentemente da carreira, conseguem chegar ao topo num período máximo de 40 anos de trabalho", disse Sebastião Santana.

A Frente Comum, acrescentou o sindicalista, propõe também "que todos os prazos inscritos no SIADAP sejam obrigatórios para todos os intervenientes no processo", como é o caso dos prazos "de reclamação, de avaliação, de homologação ou de estabelecimento de objetivos".

O problema, segundo disse, é "o entendimento que tem havido, quer das instituições ligadas ao Governo, como é o caso da DGAEP [Direção-Geral da Administração e do Emprego Público], quer depois, em tribunal, de que os prazos para os trabalhadores são objetivos, sob pena de haver perda, por exemplo, do prazo para reclamação, enquanto os prazos do Governo e dos avaliadores para homologar notas ou estabelecer objetivos são indicativos e não trazem consequências nenhumas para o avaliador".

A revisão do SIADAP está prevista no acordo assinado em outubro de 2022 entre o Governo e as duas estruturas da UGT, a Fesap - Federação dos Sindicatos da Administração Pública e o STE - Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado.

O processo negocial entre o Ministério da Presidência do Conselho de Ministros, que tutela a administração pública, e os sindicatos arrancou em julho.

A proposta do Governo de revisão do sistema de avaliação de desempenho reduz de 10 para oito os pontos necessários para progredir e deverá abranger cerca de 65% dos funcionários públicos, de acordo com o Governo.

Segundo a proposta do Governo, as novas regras vão possibilitar uma progressão mais rápida porque, ao mesmo tempo que reduzem o número de pontos necessário para alteração do posicionamento remuneratório (dos atuais 10 para oito), criam uma nova menção classificativa.

O SIADAP atualmente em vigor contempla as menções 'Excelente' (a que correspondem 3 pontos), 'Relevante' (2 pontos) e 'Adequado' (1 ponto). Na proposta, o Governo mantém o 'Excelente' (3 pontos), havendo depois a classificação de 'Muito bom' (2 pontos), 'Bom' (1,5 pontos) e 'Regular' (1 ponto).

Leia Também: Fenprof 'chumba' OE2024 e acusa Governo de fazer "contas de merceeiro"

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório