Meteorologia

  • 20 ABRIL 2024
Tempo
17º
MIN 15º MÁX 23º

TAP. Governo "muito confortável" com decisão de despedimento da ex-CEO

A ministra da Presidência afirmou hoje que o Governo está "muito confortável" com o despedimento da ex-presidente executiva da TAP, Christine Ourmières-Widener, defendendo que o relatório que sustentou a decisão era inequívoco.

TAP. Governo "muito confortável" com decisão de despedimento da ex-CEO
Notícias ao Minuto

13:45 - 07/09/23 por Lusa

Economia TAP

A ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, falava hoje no briefing após o Conselho de Ministros, quando foi questionada sobre a entrada do processo em tribunal pela antiga CEO da TAP, que exige 5,9 milhões de euros.

"O Governo tomou uma decisão com base num relatório que é absolutamente inequívoco e por isso estamos muito confortáveis com a decisão tomada", disse.

Em causa está a exoneração por justa causa de Christine Ourmières-Widener e do presidente do conselho de administração ('chairman'), Manuel Beja, anunciada a 06 de março em conferência de imprensa pelo ministro das Finanças, Fernando Medina, após uma investigação da Inspeção-Geral de Finanças (IGF) sobre a indemnização de 500 mil euros paga pela TAP a Alexandra Reis.

Mariana Vieira sublinhou que o executivo "na altura tomou a decisão com base num relatório da IGF", que, voltou hoje a defender, "era suficientemente sólido".

"Quanto ao tema de decisões tomadas fora do enquadramento que deveriam ter sido tomadas, mantém naturalmente a sua decisão. Quanto ao resto, todos temos o direito de nos defender e decidirmos todos os processos que queiramos decidir", disse.

A agência Lusa confirmou no portal Citius que a ex-presidente executiva da TAP deu entrada na terça-feira com o processo cível contra a empresa, exigindo 5.943.196,16 euros, tendo a ação a ação dos advogados de Christine Ourmières-Widener sido distribuída na quarta-feira ao juiz 3 do Juízo Central Cível de Lisboa, apontando como réus as empresas TAP SGPS e a TAP S.A.

Contactada pela Lusa, a advogada da antiga presidente executiva, Inês Arruda, reiterou a informação disponibilizada no Citius, evitando, por agora, fazer mais comentários: "Confirmo que foi dada entrada a ação contra a TAP e que o valor da ação é esse [5,9 milhões de euros]".

A Lusa pediu um comentário à TAP e aos ministérios das Infraestruturas e das Finanças. O ministério das Finanças, liderado por Fernando Medina, já respondeu que não vai comentar e aguarda resposta da companhia aérea.

[Notícia atualizada às 14h28]

Leia Também: Christine Ourmières-Widener reclama 5,9 milhões à TAP

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório