Meteorologia

  • 22 JULHO 2024
Tempo
28º
MIN 18º MÁX 37º

Tripulantes de cabine da easyJet rejeitam nova proposta da transportadora

Os tripulantes de cabine da easyJet rejeitaram na terça-feira uma nova proposta da transportadora aérea, depois de se reunirem em assembleia geral de emergência, segundo o Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC).

Tripulantes de cabine da easyJet rejeitam nova proposta da transportadora
Notícias ao Minuto

17:56 - 23/08/23 por Lusa

Economia SNPVAC

Numa nota enviada aos associados, a estrutura sindical adiantou que se realizou "a assembleia geral de emergência, com a respetiva votação da proposta apresentada pela empresa, assim como estabelecido na ordem de trabalhos prevista".

A assembleia contou com uma "participação massiva", disse a estrutura, adiantando que, na votação, dos 441 associados easyJet, votaram 415.

Segundo o SNPVAC, houve 351 votos contra, 43 a favor e 21 abstenções.

"Este resultado não deixa margens para dúvidas, 85% dos associados consideram esta proposta insuficiente", garantiu.

"Dado o grande descontentamento demonstrado pelos associados, veremos se a empresa finalmente entende que o sentimento dos tripulantes não é inventado ou instigado pelo SNPVAC", destacou ainda.

"O resultado da votação demonstra que estamos no caminho certo e não desistiremos de lutar pela melhoria das nossas condições de trabalho", rematou.

Os tripulantes de cabine da easyJet já realizaram três greves nos últimos meses em protesto contra o que defendem ser uma política discriminatória da empresa face a outras bases europeias.

Em julho, o presidente do SNPVAC, que falava aos jornalistas à porta do Aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto, criticou a postura da easyJet por esta "discriminar" os trabalhadores portugueses.

"Não é justo que um tripulante em Portugal ganhe menos 67% do que um tripulante em França ou na Alemanha. Não é o nível de vida de Portugal comparado com França que justifica esse diferencial. Estamos a falar de uma das bases mais rentáveis, rede essa que teve lucro no primeiro trimestre de 228 milhões. Os lucros têm de acompanhar as condições dos trabalhadores", disse.

"A realidade é sempre a mesma: uma proposta sempre muito abaixo da realidade do país. A segunda proposta vem com algumas melhorias e a terceira também. Já vamos na terceira greve infelizmente. Isto parece um jogo de paciência. Esperemos que a empresa perceba que as reivindicações são justas", disse.

Para o presidente do SNPVAC, a situação é "clara e evidente": "Se a easyJet afirma que é a segunda marca em Portugal, então as condições de salário têm de acompanhar esse crescimento", resumiu.

Leia Também: Avião da EasyJet aterra rodeado de polícias e bombeiros em Liverpool

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório