Meteorologia

  • 19 JULHO 2024
Tempo
28º
MIN 19º MÁX 31º

Consumo de cimento cai 4,1% nos primeiros quatro meses do ano

O consumo de cimento no mercado nacional registou uma quebra de 4,1% nos primeiros quatro meses do ano, em termos homólogos, segundo dados da Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas (AICCOPN), hoje divulgados.

Consumo de cimento cai 4,1% nos primeiros quatro meses do ano
Notícias ao Minuto

16:14 - 28/06/23 por Lusa

Economia AICCOPN

"Nos primeiros quatro meses deste ano, regista-se um decréscimo de 4,1% em termos homólogos, no consumo de cimento no mercado nacional", informou a associação setorial, em comunicado.

Citando dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), do Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais do Ministério das Finanças (GPEARI), da Associação Técnica da Indústria de Cimento (ATIC) e do Banco de Portugal, a associação referiu também que, até ao final de abril, foram emitidas 5.919 licenças para obras de construção nova ou de reabilitação em edifícios residenciais, o que traduz uma redução de 13,2% em termos homólogos.

"No entanto, relativamente ao número de fogos licenciados em construções novas continua-se a observar um aumento face ao período homólogo, apurando-se um crescimento de 4,5% para 11.063", apontou a AICCOPN.

Já o montante do novo crédito à habitação concedido pelas instituições financeiras, até abril, ascendeu a 5.802 milhões de euros, refletindo um aumento de 5,9% face ao mesmo período do ano passado.

Relativamente à taxa de juro implícita no crédito à habitação, registou-se um novo aumento, fixando-se em 3,11% em abril.

Quanto ao valor mediano da avaliação da habitação estabelecido para efeitos de crédito bancário, manteve-se a trajetória de valorização, com um aumento de 10%, em termos homólogos, com variações de 10,6% nos apartamentos e de 5% nas moradias.

Em destaque esteve a Área Metropolitana do Porto, a registar 6.347 fogos licenciados em construções novas nos doze meses terminados em abril, o que traduz um aumento de 9,6% face aos 5.791 alojamentos licenciados nos doze meses anteriores.

Daqueles, 9% são de tipologia T0 ou T1, 27% são de tipologia T2, 41% de tipologia T3 e 23% de tipologia T4 ou superior.

Quanto ao valor de avaliação bancária na habitação, verificou-se, naquela região, uma variação homóloga de 8,6% em abril.

Leia Também: INE revê em baixa Valor Acrescentado Bruto do turismo em 2020

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório