Meteorologia

  • 19 ABRIL 2024
Tempo
21º
MIN 15º MÁX 21º

Intervenção na energia contribuiu para "puxar a inflação para baixo"

O ministro do Ambiente e da Ação Climática, Duarte Cordeiro, disse hoje em Matosinhos, no distrito do Porto, que a intervenção estatal no mercado permitiu baixar os preços da energia, contribuindo também para baixar a inflação.

Intervenção na energia contribuiu para "puxar a inflação para baixo"
Notícias ao Minuto

14:50 - 11/05/23 por Lusa

Economia Ministro

"Houve uma redução da inflação pelo sexto mês consecutivo, e nós hoje podemos dizer que as políticas que desenhámos no ano passado, de intervenção e subsidiação dos preços da energia, produziram resultados que hoje ajudam a puxar a inflação para baixo", disse hoje Duarte Cordeiro na Grande Cimeira do Fórum Sustentabilidade e Sociedade.

No evento que decorre até sexta-feira nos Paços do Concelho de Matosinhos, o ministro disse concordar "que a subsidiação só por si não deve ser um elemento de uma política energética".

"Neste caso, teve um propósito muito significativo de desonerar as famílias portuguesas, desonerar a indústria portuguesa, e de contribuir para a redução da inflação", considerou o responsável.

Duarte Cordeiro disse que foi possível tomar as medidas "com uma combinação de várias soluções", como a "intervenção Portugal - Espanha, que permitiu proteger aqueles que estavam desprotegidos e que estavam expostos ao mercado 'spot' [negociado instantaneamente], e que conseguiu reduzir o preço da eletricidade em cerca de 30 megawatt/hora".

O governante falou ainda na "mobilização das vantagens que o país tem em termos de externalidades positivas dos seus contratos de energia, mais da mobilização do Orçamento do Estado, que permitiu mobilizar 4,5 mil milhões de euros para reduzir as tarifas de acesso à rede".

Segundo o ministro, a redução de encargos conseguiu fazer "com que a energia não seja referida" em "nenhuma discussão a que tenha assistido nos últimos dois meses relativamente ao aumento dos custos das famílias".

"No ano passado não era assim. A energia era dita por todos como um elemento central quando nós referíamos as dificuldades que as famílias estão a sentir. Hoje isso não acontece", de acordo com Duarte Cordeiro.

A variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) abrandou para 5,7% em abril, taxa inferior em 1,7 pontos percentuais à do mês anterior e a sexta desaceleração mensal consecutiva, confirmou hoje o INE.

A taxa de inflação de abril é a mais baixa desde março de 2022, mês em que se situou em 5,3%.

Segundo o organismo estatístico, "esta desaceleração é em parte explicada pelo efeito de base resultante do aumento de preços da eletricidade, do gás e dos produtos alimentares verificado em abril de 2022".

Leia Também: Açores. Bolieiro destaca políticas públicas que criam motivação no ensino

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório