Meteorologia

  • 24 JULHO 2024
Tempo
24º
MIN 20º MÁX 38º

Exportações do têxtil e vestuário caem 3% em valor e 12% em volume

As exportações portuguesas de têxteis e vestuário recuaram 3% em valor e 12% em quantidade em fevereiro, "impactadas pelo abrandamento económico", somando 1.012 milhões de euros desde o início do ano, um aumento homólogo acumulado de 1%.

Exportações do têxtil e vestuário caem 3% em valor e 12% em volume
Notícias ao Minuto

15:19 - 21/04/23 por Lusa

Economia Exportações

De acordo com um comunicado divulgado hoje pela Associação Têxtil e Vestuário de Portugal (ATP), tendo por base os dados mais recentes do Instituto Nacional de Estatística (INE), em fevereiro "a quebra regista-se em quase todas as categorias de produtos, com exceção dos tecidos de malha (que registaram um aumento de 17% em valor e 33% em quantidade) e do vestuário em tecido (aumentou 15% em valor e 5% em quantidade)".

Em termos acumulados, as exportações do setor nos dois primeiros meses do ano somam 1.012 milhões de euros (+1%) e 83 mil toneladas (-12%).

A ATP detalha que a quebra sofrida pelos têxteis-lar e outros artigos têxteis confecionados foi de 16% em valor e de 14% em quantidade, enquanto nas matérias têxteis o recuo foi de 3% em valor e de 14% em quantidade.

Já as exportações de vestuário permaneceram positivas em valor (+7%), mas em volume verificou-se uma diminuição de 5%.

"Estamos seguramente a exportar menos por mais valor", afirma o presidente da ATP, citado no comunicado.

Segundo Mário Jorge Machado, este facto deve-se "à inflação que se regista na maioria dos mercados e que tem impacto ao longo de toda a cadeia de valor e fornecimento".

Os dados hoje divulgados pela associação apontam que, até fevereiro, o setor registou uma quebra na maioria dos principais destinos de exportação, mas conseguiu, ainda assim, "um bom desempenho" em alguns.

É o caso de França (+13% em valor e +3% em quantidade), da Suíça (+42% e +10%), do Canadá (+21% em valor e +19%), da Roménia (+18% em valor e +27%) e da Chéquia (+20% e +7%).

No que se refere às importações, recuaram 8% em valor e 17% em quantidade em fevereiro, sobretudo nas matérias têxteis e os têxteis confecionados, já que no vestuário se observaram subidas de 11% em valor e de 3% em quantidade.

Em termos acumulados, nos dois primeiros meses do ano, Portugal importou 805 milhões de euros e 86 mil toneladas de têxteis e vestuário, menos 2% do valor e menos 19% da quantidade importada no mesmo período do ano anterior.

Este recuou afetou, em particular, as matérias-primas têxteis (-24% em valor e -27% em quantidade), o que, segundo a ATP, "reflete uma menor procura por parte da indústria, em resultado do abrandamento económico".

Leia Também: Empresa têxtil Riopele passa de prejuízo a lucro de 1,2 milhões em 2022

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório