Meteorologia

  • 25 JULHO 2024
Tempo
27º
MIN 19º MÁX 27º

Wall Street fecha em baixa apesar de uma subida modesta da taxa de juro

A bolsa nova-iorquina fechou hoje em baixa, em reação a uma modesta da taxa de juro de referência pela Reserva Federal (Fed), apesar de modesta e menos agressiva face à inflação por causa da crise bancária.

Wall Street fecha em baixa apesar de uma subida modesta da taxa de juro
Notícias ao Minuto

22:36 - 22/03/23 por Lusa

Economia Wall Street

O resultado definitivo da sessão indica que o índice seletivo Dow Jones Industrial Average perdeu 1,63%, o tecnológico Nasdaq recuou 1,60% e o alargado S&P500 baixou 1,65%.

O banco central dos EUA (Fed) elevou a sua taxa de juro de referência em 25 pontos-base (um quarto de ponto percentual) e sinalizou que não tencionava fazer mais subida de taxas desta dimensão no curto prazo.

A taxa de juro de referência está agora no intervalo entre 4,75% e 5,00%. O crescimento dos preços, segundo o índice de preços no consumidor, foi de 6,00% em fevereiro, em termos anuais.

Ao mesmo tempo, o presidente da Fed, Jerome Powell, procurou tranquilizar o mundo financeiro quanto à recente crise no setor bancário, garantindo que o dinheiro dos depositantes norte-americanos estava "em segurança" e que o sistema bancário continuava sólido.

As recentes turbulências conduziram à falência de dois bancos regionais norte-americanos, o Silicon Valley Bank e o Signature Bank, ao passo que, na Suíça, o Credit Suisse teve de ser adquirido em última instância e a preço baixo pelo concorrente UBS.

Na frente das taxas e da inflação, "o comunicado [da Fed] foi de tom 'pomba'", o que significa favorável a uma política monetária mais acomodatícia, mais suave, indicou Peter Cardillo, da Spartan Capital Securities. Mas Powell "também disse que era difícil prever uma recessão", relativizou.

Este tom mais suave, saudado por um breve instante na bolsa, acabou por afundar Wall Street, com os analistas a entenderem que e uma forma de a Fed compensar o endurecimento das condições financeiras provocada pela crise bancária, apontou, por seu lado, Karl Haeling, do LBBW.

"As condições financeiras endureceram e provavelmente mais do que os indicadores tradicionais o mostram", disse Powell. No comunicado do comité de mercado aberto da Fed (FOMC, na sigla em Inglês), onde se decide a política monetária, advertiu-se que a recente crise dos bancos era "suscetível (...) de pesar sobre a atividade económica".

O presidente da Fed realçou também que a Fed estava "disposta a tirar as lições do episódio" bancário e avisou que seria necessária mais regulação e supervisão.

"Quando que se fala em mais regulação, as ações sofrem", comentou Peter Cardillo.

Já o mercado obrigacionista acolheu bem o tom moderado da Fed, com os rendimentos das obrigações do Tesouro a 10 anos a baixarem para 3,44% dos 3,60% da véspera.

Entre os bancos cotados, o dia foi negro, com o First Republic a perder 15,47%, o Western Alliance Bancorporation quase 5% e o californiano PacWest 17,12%, depois de anunciar que os seus depósitos tinham diminuído em 20%.

Leia Também: Wall Street inicia sessão em baixa à espera de decisões da Fed

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório