Meteorologia

  • 16 JUNHO 2024
Tempo
17º
MIN 15º MÁX 25º

Prestações de desemprego recuam 12,2% para 183.304 em fevereiro

O número de desempregados com prestações de desemprego diminuiu 12,2% em fevereiro face ao período homólogo e 0,3% em relação a janeiro, para 183.304, segundo as estatísticas da Segurança Social publicadas hoje.

Prestações de desemprego recuam 12,2% para 183.304 em fevereiro
Notícias ao Minuto

17:46 - 20/03/23 por Lusa

Economia Desemprego

De acordo com a síntese estatística mensal elaborada pelo Gabinete de Estratégia e Planeamento (GEP) do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, registaram-se, assim, menos 634 beneficiários em fevereiro face a janeiro e menos 25.353 do que no mesmo mês de 2022.

O subsídio de desemprego foi atribuído a 139.303 pessoas em fevereiro, uma diminuição mensal de 2,4% e um decréscimo homólogo de 4,8%.

No caso do subsídio social de desemprego inicial foram abrangidos 10.615 beneficiários, um crescimento de 7,4% comparativamente a janeiro e de 30,7% face ao mesmo mês do ano anterior.

Já o número de beneficiários do subsídio social de desemprego subsequente foi de 24.748 em fevereiro, uma diminuição mensal de 0,7% e um acréscimo homólogo de 21,9%.

O sexo feminino representava 56,1% do total de beneficiários das prestações de desemprego e o sexo masculino 43,9%.

Os dados estatísticos da Segurança Social revelam que o valor médio das prestações de desemprego em fevereiro foi de 570,89 euros.

O número de desempregados inscritos nos centros de emprego baixou 8,3% (-28.619) em fevereiro em termos homólogos, para 315.645, o "segundo mais baixo de sempre" neste mês, destacou hoje o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

Em cadeia, entre janeiro e dezembro, registou-se uma descida de 6.442 pessoas, representando um decréscimo de 2,0%, refere a tutela com base em números do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP).

Os dados da Segurança Social indicam ainda que em fevereiro as prestações de 'lay-off' abrangiam 3.791 pessoas, um acréscimo de 8,2% (mais 288 pessoas) face a janeiro, mas uma redução homóloga de 64,1% (menos 6.775 pessoas), explicada pelo pico verificado há um ano devido à situação pandémica.

O regime de redução de horário de trabalho contém a maioria dos trabalhadores abrangidos pelo 'lay-off' (2.561).

Estas prestações foram processadas a 211 entidades empregadoras, mais 11 que no mês anterior.

Leia Também: Salário médio real no privado cresceu 1% por ano entre 2006 e 2020

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório