Meteorologia

  • 25 JUNHO 2024
Tempo
17º
MIN 17º MÁX 24º

BCE quer menos apoios, mas Portugal promete "continuar" a ajudar pessoas

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social garantiu hoje que o governo vai continuar a ajudar as pessoas, nomeadamente as mais vulneráveis, apesar do apelo da presidente do Banco Central Europeu para os governos reduzirem apoios a famílias

BCE quer menos apoios, mas Portugal promete "continuar" a ajudar pessoas
Notícias ao Minuto

14:26 - 17/03/23 por Lusa

Economia Ana Mendes Godinho

"Aquilo que temos feito e continuaremos sempre a fazer é procurar em cada momento responder à situação das pessoas, nomeadamente focando-nos nas pessoas que estão em situação de maior vulnerabilidade", disse Ana Mendes Godinho, no Porto, à margem da Cimeira das Pessoas "Não há Europa Social sem Direitos Sociais".

A governante disse que o Governo procura sempre mobilizar, a par das medidas excecionais, medidas de investimento estrutural naqueles que são os grandes desafios.

"É isso que temos feito e que vamos continuar sempre a fazer", vincou.

Na quinta-feira, a presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, apelou aos governos da zona euro para começarem "rapidamente" a reduzir os apoios orçamentais às famílias e às empresas, para travar a inflação.

"É importante começar rapidamente a reduzir essas medidas de forma concertada" para evitar "aumentar as pressões inflacionistas a médio prazo", declarou Lagarde, em conferência de imprensa, após a reunião de política monetária do BCE.

Lagarde disse também que o BCE "está pronto a agir, se for necessário" para "preservar a estabilidade financeira".

Questionada sobre a greve de hoje da função pública, Ana Mendes Godinho recusou fazer comentários por não ter dados sobre a adesão, reforçando, contudo, que a greve é um direito de todos.

Leia Também: Banca. BCE faz reunião extraordinária para analisar turbulência nos EUA

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório