Meteorologia

  • 07 FEVEREIRO 2023
Tempo
MIN 6º MÁX 13º

Trabalhistas rejeitam que adesão a mercado único europeu seja benéfica

O líder do Partido Trabalhista, Keir Starmer, rejeitou hoje que o crescimento económico do Reino Unido possa beneficiar da adesão ao mercado único europeu, argumentando que o Governo britânico deve fazer um "acordo melhor" com a União Europeia (UE). 

Trabalhistas rejeitam que adesão a mercado único europeu seja benéfica
Notícias ao Minuto

11:22 - 05/12/22 por Lusa

Economia Reino Unido

"Não, nesta fase, não creio que o faria", afirmou, em entrevista à estação BBC Radio 4, acrescentando que "não há argumentos para voltar à UE ou para voltar ao mercado único".

Mas Starmer acredita que "existem argumentos a favor de um 'Brexit' melhor" e para "fazer o 'Brexit' funcionar".

Segundo o líder do Partido Trabalhista, que fez campanha pela permanência na UE e, durante as negociações do processo de saída, defendeu uma relação mais próxima da UE, reabrir esta discussão seria prejudicial. 

"Eu passei muitos, muitos anos depois de 2016 a falar com empresas que me disseram vezes sem conta que o pior é a incerteza, e penso que isso nos limitou durante muitos anos. Eu não quero voltar a isso, mas penso que podemos seguir em frente para um acordo melhor porque penso que este não está a funcionar corretamente", explicou.

O Reino Unido saiu formalmente da UE em 31 de janeiro de 2020, mas só abandonou definitivamente o mercado único europeu no final do mesmo ano. 

Desde 01 de janeiro de 2021 que está em vigor o Acordo de Comércio e Cooperação, que garante trocas comerciais sem tarifas nem quotas, mas implica controlos aduaneiros, documentação adicional e restrições em setores como os serviços financeiros.  

O Gabinete de Responsabilidade Orçamental (OBR na sigla inglesa), responsável por fiscalizar a execução do orçamento, reconheceu um "impacto adverso significativo" do 'Brexit' na economia. 

A logo prazo, estimou, a intensidade do comércio entre o Reino Unido e a UE vai ser 15% mais baixa, o que levará a uma queda de 4% no Produto Interno Bruto (PIB). 

A imprensa britânica tem especulado sobre um interesse do Governo britânico de Rishi Sunak em aproximar-se do mercado único europeu, falando-se inclusivamente num acordo "tipo suíço". 

O ministro das Finanças, Jeremy Hunt reconheceu que "ter comércio sem restrições com os nossos vizinhos" seria "muito benéfico para o crescimento".

Porém, Sunak colocou água na fervura, ao afirmar que não aceitará "qualquer relação com a Europa que dependa do alinhamento com as leis da UE". 

Leia Também: Reino Unido. Trabalhistas afastam livre circulação com Europa

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sétimo ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório