Meteorologia

  • 07 FEVEREIRO 2023
Tempo
12º
MIN 6º MÁX 14º

Wall Street fecha em forte alta após discurso de presidente da Fed

A bolsa nova-iorquina encerrou hoje em alta, com os investidores tranquilizados pelas declarações do presidente da Reserva Federal (Fed), Jerome Powell, que apontam para uma moderação da subida da taxa de juro de referência.

Wall Street fecha em forte alta após discurso de presidente da Fed
Notícias ao Minuto

23:39 - 30/11/22 por Lusa

Economia Wall Street

Com uma valorização de 2,18%, o índice seletivo Dow Jones Industrial Average saiu do designado 'mercado urso' ('bear market', em Inglês), onde tinha entrado em setembro ao desvalorizar 20% em relação ao seu último máximo. O tecnológico Nasdaq avançou 4,41% e o alargado S&P500 progrediu 3,08%.

Powell confirmou o que os investidores esperavam.

Ao discursar na Brookings Institution, em Washington, e depois durante a sessão de perguntas e respostas o presidente da Fed, deu a entender que uma subida da taxa de juro de referência mais moderada do que as anteriores era admissível durante a próxima reunião do comité de política monetária da Fed (FOMC, na sigla em Inglês). Esta reunião está marcada para 14 de dezembro.

"O momento de diminuir o ritmo da subida da taxa de juro pode ocorrer já na reunião de dezembro", disse Powell, enquanto insistia em que uma política monetária "restritiva" continuaria a ser seguida "durante um certo tempo", para controlar uma inflação que continua "muito forte".

Isto leva a esperar, como alguns investidores antecipam, uma subida da taxa de juro de referência em meio ponto percentual, em vez de três caros de ponto percentual, como ocorreu nas quatro ocasiões precedentes.

Com efeito, uma subida de 50 pontos-base dentro de duas semanas é o cenário privilegiado hoje por 77% dos investidores, que compara com 66% na terça-feira, segundo a CME.

"Vários pontos foram importantes na sua declaração: subidas das taxas mais modestas no futuro, o seu nível permanecerá elevado durante algum tempo, mas também assinalou o facto de o mercado de trabalho estar a arrefecer e sobretudo afirmou que uma aterragem suave da economia era 'muito plausível'", resumiu Peter Cardillo, da Spartan Capital.

O mercado reagiu imediatamente ao discurso em termos positivos.

"É uma boa indicação que significa que a Fed permite o reacendimento do mercado bolsista no final de ano", comentou Cardillo.

Porém, o dia foi marcado pela divulgação de indicadores mitigados.

O Livro Bege da Fed mostrou uma atividade económica estagnada nas últimas seis semanas e um ritmo de inflação a enfraquecer. Mas "numerosos contactos exprimiram uma maior incerteza ou um pessimismo acrescido sobre as perspetivas", apontou-se também no documento.

Enquanto se esperam pelos números oficiais sobre o emprego e o desemprego nos EUA, na sexta-feira, soube-se que as contratações pelo setor privado em novembro foram piores do que esperado, com 127 mil, segundo o inquérito mensal feito pela ADP/Stanford Lab.

Por outro lado, o Departamento do Comércio reviu em alta o crescimento do produto interno bruto no terceiro trimestre para 2,9%, em termos anualizados, graças a despesas de consumo acima do que tinha sido estimado.

Leia Também: Ucrânia: Alemã Uniper reclama indemnização elevada à Gazprom

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sétimo ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório