Meteorologia

  • 29 NOVEMBRO 2022
Tempo
10º
MIN 8º MÁX 16º

Banco de Espanha revê em baixa PIB e em alta inflação para 2023

O Banco de Espanha baixou hoje a previsão de crescimento da economia espanhola em 2023 para 1,4% do Produto Interno Bruto (PIB) e aumentou a estimativa da inflação no próximo ano para 5,6%.

Banco de Espanha revê em baixa PIB e em alta inflação para 2023
Notícias ao Minuto

13:54 - 05/10/22 por Lusa

Economia Espanha

No caso do crescimento do PIB, a nova estimativa de crescimento é 1,5 pontos percentuais inferior à anterior, que o Banco de Espanha tinha feito em junho, enquanto na inflação a previsão é 3,1 pontos superior.

O Banco de Espanha justifica o menor crescimento do PIB com a inflação ainda elevada, as condições de financiamento menos favoráveis, o aumento da incerteza e o enfraquecimento da procura global.

A recuperação do nível de crescimento do PIB anterior à pandemia de covid-19 (antes de 2020) só deverá ocorrer no primeiro trimestre de 2024, ou seja, dois trimestres mais tarde do que aquilo que o Banco de Espanha estimava em junho passado.

Já para este ano, o Banco de Espanha estima um crescimento do PIB espanhol de 4,5%, mais quatro décimas do que aquilo que previa em junho, o que justifica com "as exportações de serviços de turismo", que compensaram o impacto negativo da guerra na Ucrânia.

O Banco de Espanha ressalva que, ainda assim, a guerra perturba as perspetivas económicas para os próximos trimestres por causa do "aumento da incerteza geopolítica e o recrudescimento recente da crise energética na Europa".

Para 2024, a previsão do Banco de Espanha é que o PIB espanhol cresça 2,9%, mais quatro décimas do que a previsão de junho, esperando um maior dinamismo económico a partir da primavera de 2023.

Quanto às taxas de inflação (aumento dos preços relativamente ao mesmo período do ano anterior), o Banco de Espanha estima que serão "significativamente mais elevadas e persistentes do que as previstas em junho", com a média a dever fixar-se em 8,7% em 2022, em 5,6% em 2023 e em 1,9% em 2024.

Estas previsões devem-se "às surpresas recentes no avanço dos preços" e "aos novos caminhos esperados no futuro para os preços da energia", assim como a "um euro mais desvalorizado" do que em junho.

O Banco de Espanha reconhece que as projeções estão marcadas por "uma extraordinária incerteza" e que existe o risco de revisão em alta da inflação e em baixa do crescimento da economia.

Quanto ao desemprego, prevê uma taxa de 12,8% este ano (menos duas décimas do que na previsão anterior), de 12,9% em 2023 e de 12,4% em 2024.

Já para o défice público, a previsão é de 4,3% do PIB este ano, 4% em 2023 e 4,3% em 2024, enquanto a dívida pública espanhola se deverá situar em 113,3% do PIB em 2022, em 110,7% em 2023 e em 109,9% em 2024.

As estimativas do Banco de Espanha não coincidem com as mais recentes avançadas pelo Governo, que prevê um crescimento do PIB em 2023 de 2,1% e um défice de 3,9% do PIB em 2023.

Leia Também: Espanha e Alemanha reúnem-se na primeira cimeira bilateral desde 2013

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório