Meteorologia

  • 08 DEZEMBRO 2022
Tempo
16º
MIN 14º MÁX 17º

Quase todos os alimentos essenciais aumentaram de preço. O que 'escapa'?

Análise da DECO Proteste revela que só oito produtos mantiveram o preço ou até desceram desde o início da guerra.

Quase todos os alimentos essenciais aumentaram de preço. O que 'escapa'?
Notícias ao Minuto

10:22 - 03/10/22 por Notícias ao Minuto

Economia Preços

Uma análise da DECO Proteste, divulgada esta segunda-feira, revela que quase todos os produtos (55 em 63) que compõem um cabaz de essencial de supermercado aumentaram de preço desde março. 

"A análise, com início a 1 de março deste ano salienta a escalada do valor da pescada fresca e dos brócolos, que atingiu 67% e 47% respetivamente, e comprova o peso acentuado da fatura de supermercado", pode ler-se num comunicado a que o Notícias ao Minuto teve acesso. 

Os dados da organização de defesa do consumidor revelam que a par da pescada fresca e dos brócolos, o aumento do custo nos supermercados online é "notório em muitos outros casos como a couve-coração e o óleo alimentar (ambos com 36% de subida), a batata vermelha (mais 33%), o frango inteiro (mais 30%), o bife de peru (mais 25%), os cereais de mel (mais 23%), as costeletas de porco (mais 20%) e as bifanas de porco (mais 18%)".

"Ao longo destes seis meses de avaliação, o preço do cabaz essencial tem aumentado em quase todas as semanas, sendo que em alguns produtos são notadas subidas de dois dígitos de uma semana para a outra", diz Ana Guerreiro, porta-voz da DECO Proteste, citada na mesma nota. "Este é um momento de difícil gestão para o orçamento familiar dos portugueses e prevê-se um agravamento da situação nos tempos próximos", acrescenta. 

Por outro lado, só oito produtos mantiveram o preço ou até desceram face ao registado a 1 de março de 2022, como é o caso do sal grosso e dos cereais de fibra: "O sal manteve-se estável naquele período, enquanto os cereais oscilaram. Em contracorrente, alguns produtos baixaram de preço. A curgete é o exemplo mais expressivo, registando a maior descida (23%). Passou de 2,21 para 1,71 euros por quilo. Na curta lista, seguem-se as ervilhas congeladas (-7%), a perca (-4%), o iogurte líquido (-2%) e o pão de forma (-1%)", pode ler-se. 

O cabaz essencial que serve de base para esta análise é composto por 63 alimentos - inclui produtos de mercearia, laticínios, carne, peixe, fruta, legumes e congelados - e tem sido analisado todas as quartas-feiras, com base nos preços recolhidos no dia anterior.

Leia Também: Salários dos professores portugueses subiram metade da média da OCDE

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório