Meteorologia

  • 09 DEZEMBRO 2022
Tempo
17º
MIN 13º MÁX 17º

Wall Street fecha em baixa e não resiste às subidas das taxas de juro

A bolsa nova-iorquina encerrou hoje em baixa, com os investidores incapazes de resistir à subida das taxas de juro e às suas consequências para o conjunto da economia, sem perspetivas de apoio no horizonte.

Wall Street fecha em baixa e não resiste às subidas das taxas de juro
Notícias ao Minuto

23:08 - 26/09/22 por Lusa

Economia Wall Street

Os resultados definitivos da sessão indicam que o índice seletivo Dow Jones Industrial Average perdeu 1,11% e acabou mesmo no mínimo do ano, em termos de valor de fecho, nos 29.260,81 pontos. Desde novembro de 2020, que este índice, que viveu hoje a quinta sessão consecutiva de baixa, não fechava nestes números.

Outro limiar simbólico é dado pela entrada oficial do Dow Jones no designado 'bear market' (mercado urso), que significa que perdeu mais de 20% desde o recorde que fixou no início de janeiro.

Também o índice alargado S&P500 viveu hoje o seu pior desempenho, igualmente em termos de valor de facho, ao recuar um por cento, para as 3.665,04 unidades. É mesmo preciso recuar até dezembro de 2020 para ver pior.

Por seu lado, o tecnológico Nasdaq desvalorizou 0,60% e acabou nos 10.802,92 pontos.

"Os investidores estão a reagir a uma mistura tóxica de mais notícias, que ficou pior com o que se passou no Reino Unido na sexta-feira", disse Andy Kapyrin, da Regent Atlantic, em referência às medidas de relançamento económico apresentadas pelo novo governo, que fizeram implodir a libra esterlina.

"Não sei se já se tocou no fundo, mas, para os investidores, faz sentido lançarem-se à água", defendeu o analista, realçando os preços baios das ações e os rendimentos muito elevados das obrigações.

Aliás, assistiu-se em Wall Street a uma caça aos bons negócios, que aproveitou a algumas sociedades, cujas cotações tiveram quedas assinaláveis nos últimos dias, como Apple (+0,23%), Amazon (+1,20%), Costco (+2,98%) ou 3M (+0,01%).

Mas, no seu conjunto, "Wall Street está a perceber que não se vai receber qualquer sinal sobre a diminuição da inflação nos próximos dois meses", disse Edward Moya, da Oanda. "Isto deve impedir o regresso rápido às compras".

Já em níveis elevados, os rendimentos das obrigações mantiveram-se altos. O oferecido pelos títulos da dívida pública dos EUA a 10 anos aproximou-se do limiar simbólico dos quatro por cento, ao atingir 3,92%, uma novidade desde há mais de 12 anos.

Para Andy Kapyrin, a "chave" pode estar na estabilização dos rendimentos da obrigações, "porque isso permite aos outros mercados financeiros recomeçar a comportarem-se normalmente".

Sinal do nervosismo ambiente, o índice VIX, que mede da volatilidade do mercado, subiu hoje para o seu nível mais alto desde junho.

Leia Também: Wall Street segue em terreno misto após semana de perdas

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório