Meteorologia

  • 06 OUTUBRO 2022
Tempo
17º
MIN 16º MÁX 30º

Petróleo avança mais de 2% à boleia da "mobilização parcial" da Rússia

Há momentos, o barril do Brent, que serve de referência às importações nacionais, valorizava 2,6% para 92,97 dólares, segundo o Investing.

Petróleo avança mais de 2% à boleia da "mobilização parcial" da Rússia
Notícias ao Minuto

09:15 - 21/09/22 por Notícias ao Minuto com Lusa

Economia Petróleo

O petróleo está a valorizar mais de 2% na sessão desta quarta-feira, depois de o presidente da Rússia, Vladimir Putin, ter anunciado uma "mobilização parcial" dos cidadãos do país, quando a guerra na Ucrânia está quase a chegar ao sétimo mês do conflito, numa mensagem dirigida à nação.

De acordo com a Reuters, além de intensificar a guerra, as declarações de Putin levantam preocupações relacionadas com a oferta de petróleo e de gás, que poderá ser mais restrita, o que faz aumentar o preço. 

Há momentos, o barril do Brent, que serve de referência às importações nacionais, valorizava 2,6% para 92,97 dólares, segundo o Investing.

A medida anunciada por Putin, que entra já em vigor, obedece à necessidade de defender a soberania e a integridade territorial do país, sublinhou o chefe de Estado russo, na mensagem transmitida pela televisão.

A Rússia, que invadiu a Ucrânia em 24 de fevereiro, está pronta a utilizar "todos os meios" ao seu dispor para "se proteger", declarou Putin, que acusou o Ocidente de procurar destruir o país. O anúncio de "mobilização parcial" dos russos em idade de combater abre caminho para uma escalada no conflito na Ucrânia.

"Considero necessário apoiar a proposta [do Ministério da Defesa] de mobilização parcial dos cidadãos na reserva, aqueles que já serviram (...) e com uma experiência pertinente", declarou.

"O decreto sobre a mobilização parcial foi assinado" e entra hoje em vigor hoje, acrescentou Putin, sublinhando "falar apenas de mobilização parcial", numa resposta a rumores surgidos nas últimas horas sobre uma mobilização geral.

Perante "a ameaça" que representa, para o Presidente russo, "o regime nazi de Kiev", apoiado financeira e militarmente pelo Ocidente, Moscovo vai utilizar "todos os meios ao seu dispor para proteger a Rússia" e o seu povo, advertiu Putin, numa alusão às armas nucleares.

"Isto não é um 'bluff'", avisou.

"O objetivo do Ocidente é enfraquecer, dividir e destruir a Rússia", garantiu, através da supressão "dos centros de desenvolvimento soberanos e independentes" no mundo.

"Eles [os ocidentais] dizem abertamente que em 1991 conseguiram desmembrar a União Soviética e que agora chegou a vez da Rússia", acusou.

Leia Também: É cliente do Lidl? Este concurso pode ajudá-lo a comprar casa

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório