Meteorologia

  • 08 AGOSTO 2022
Tempo
18º
MIN 16º MÁX 27º

Devemos esperar que contratação coletiva seja mais "ambiciosa"

O secretário de Estado do Emprego disse hoje esperar que a tendência de subida da contratação coletiva registada em 2021 se mantenha, salientando que, além do número, é também necessário ter mais ambição sobre o âmbito destes instrumentos.

Devemos esperar que contratação coletiva seja mais "ambiciosa"
Notícias ao Minuto

18:57 - 30/06/22 por Lusa

Economia Emprego

"Ao nível dos Instrumentos de Regulamentação Coletiva de Trabalho [IRCT] não só temos o direito a esperar que haja mais recurso à contratação coletiva, mas que seja mais ambiciosa", afirmou o secretário de Estado Miguel Fontes, detalhando que a maior ambição não se resume a ter um número mais elevado e convenções (novas ou revisões), mas a alargá-la ou a reforçá-la a novos temas laborais.

Miguel Fontes falava na apresentação do relatório anual sobre a evolução da negociação coletiva em 2021 pelo Centro de Relações Laborais (CRL), que hoje decorreu em Lisboa, e que mostra que o total ascendeu a 282 (no Continente), acima das 258 registadas em 2020.

O número, indica o documento, está "longe os resultados de anos anteriores", mas aponta para uma tendência de crescimento que a pandemia interrompeu em 2020.

Sublinhando que o compromisso do Governo com a contratação coletiva é "total", o governante lembrou o empenho em valorizar os setores e operadores económicos que privilegiam os instrumentos de regulamentação coletiva, através de majorações e benefícios como previsto na Agenda do Trabalho Digno (cuja proposta é debatida no parlamento em 07 de julho).

Na sua intervenção, que marcou o encerramento desta sessão de apresentação do relatório, Miguel Fontes disse ainda que, perante a heterogeneidade dos setores de atividade e dos perfis das empresas, é "complicado" ao legislador acomodar todas as respostas na lei -- que é por natureza "abstrata" e "genérica".

"A lei porque é abstrata, porque é genérica, nunca pode atender a todas as particularidades", disse, salientando que há um "conjunto de dimensões" que podem ser melhoradas a nível setorial ou empresarial, dando como exemplo as férias, que a lei baliza nos 22 dias úteis, mas que, por via da contratação coletiva, em muitos setores e empresas o número de dias é superior.

Em momentos como o atual em que as empresas se debatem com escassez de mão de obras e competem pela retenção ou atração do talento, a contratação coletiva, em diálogo social, ganha também importância reforçada, disse.

Os dados hoje divulgados indicam que a contratação coletiva recuperou em 2021, com a publicação de 282 instrumentos, tendo os salários reais crescido 3,7%.

A repartição tipológica das convenções -- Acordo Coletivo (AC), Acordo de Empresa (AE) e Contrato Coletivo (CC) -- mostra que os AE correspondem a cerca de 52% do total.

De acordo com o CRL, "na perspetiva da cobertura, em 2021, a evolução do número de trabalhadores potencialmente abrangidos por convenções é favorável, ao ultrapassar o meio milhão de trabalhadores", o que traduz um crescimento na ordem dos 36%, face a 2020.

Leia Também: Taxa de desemprego recua em maio na zona euro e na UE

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório