Meteorologia

  • 17 AGOSTO 2022
Tempo
26º
MIN 17º MÁX 26º

António Costa Silva. "A gestão integrada dos recursos hídricos é crucial"

O ministro da Economia e do Mar, António Costa Silva, salientou, esta segunda-feira, que as respostas aos problemas relacionados com os oceanos e a água devem envolver países, empresas e as pessoas, apontando como crucial a gestão integrada dos recursos hídricos.

António Costa Silva. "A gestão integrada dos recursos hídricos é crucial"
Notícias ao Minuto

19:35 - 27/06/22 por Lusa

Economia Oceanos

"Não podemos ter um modelo de governança que seja simplesmente a favor da corrente, tem também de ser contracorrente", referiu o ministro da Economia e do Mar, António Costa Silva, na sessão de encerramento do simpósio de alto nível sobre a Água, realizado no âmbito da Conferência dos Oceanos das Nações Unidas (UNOC, sigla em inglês), que hoje começou em Lisboa.

António Costa Silva defendeu, assim, o envolvimento de países, empresas e pessoas como forma de se lidar com as "terríveis mudanças que o planeta está a enfrentar".

Acentuando a necessidade de nos "forcarmos" numa "ação coletiva", o ministro salientou também a importância de países localizados em regiões que já enfrentam maiores problemas de falta de água, como o sul da Europa e África, trabalharem em conjunto na busca de soluções partilhando experiências e conhecimento.

Neste contexto, lembrou as suas origens angolanas para citar o ditado que diz: "Se quiseres andar depressa, vai sozinho. Se quiseres ir longe, vai acompanhado".

"A gestão integrada dos recursos hídricos é crucial", disse, acentuando que há muito que pode ser feito ao nível da reutilização da água da chuva ou da redução do desperdício e de perdas na rede e que não se pode ficar preso a ideias e atitudes do passado.

O ministro defendeu, por isso, a necessidade de mudar e de estabelecer uma nova visão para o futuro, para que a água deixe de ser vista como um recurso que "está lá", e ser encarada como algo que tem de ser usado de forma devida.

A Conferência dos Oceanos das Nações Unidas decorre este ano em Lisboa (no Altice Arena), copresidida por Portugal e pelo Quénia, entre hoje e sexta-feira, e conta com a presença de chefes de Estado e de governo de todos os continentes.

São esperados mais de 7.000 participantes de mais 140 países, 38 agências especializadas e organizações internacionais, mais de mil organizações não-governamentais, 410 empresas e 154 universidades.

Leia Também: Costa: "Podemos dar passos decisivos para o Desenvolvimento Sustentável"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório