Meteorologia

  • 29 JUNHO 2022
Tempo
18º
MIN 16º MÁX 24º

Colt quer ter 140 trabalhadores este ano (e avalia semana de quatro dias)

A Colt Portugal quer recrutar mais 25 trabalhadores em Portugal, ascendendo a um total de 140, e está a avaliar a possibilidade de implementar a semana de quatro dias, embora ressalve que é difícil aplicá-la a todas as funções.

Colt quer ter 140 trabalhadores este ano (e avalia semana de quatro dias)
Notícias ao Minuto

08:18 - 23/06/22 por Lusa

Economia Colt

"Queremos atingir os 140 trabalhadores este ano. Neste momento, temos 115", indicou o 'country manager' da Colt Portugal, Carlos Jesus, que falava num encontro com os jornalistas, em Lisboa.

Este responsável destacou a necessidade de Portugal "recrutar mais rápido", uma vez que, atualmente, a empresa não abre concursos para um determinado mercado, mas para uma função. Assim, o recrutamento dos 25 trabalhadores será feito "com base no talento", podendo ser portugueses ou estrangeiros.

A empresa está agora a avaliar a possibilidade de ter uma semana de trabalho de quatro dias, mas ainda permanecem "muitas questões por responder", estimando que tal não será possível de aplicar a todas as áreas.

"Se falar dos 'software developments', eles podem decidir fazer 10 horas diárias, organizar o trabalho de outra forma e entregar o mesmo", sublinhou Carlos Jesus. Porém, no apoio ao cliente tal não é possível, sendo que uma semana de quatro dias iria implicar turnos e escalas.

Para isto, seriam necessários mais colaboradores, disparando os custos, já penalizados com a necessidade de manter as mesmas condições.

"Ninguém quer perder o seu salário. A energia subiu, o preço dos equipamentos também, além do respetivo prazo de entrega ter sido alargado. Vamos passar isto tudo para os nossos clientes? Isto vai ter um impacto no EBITDA [resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações] do grupo. No ponto de vista do negócio, há algumas questões importantes a resolver. Estamos a debater a possibilidade internamente e temos a noção clara de que é muito difícil aplicá-la a todas as funções", apontou.

A Colt, que está a celebrar 20 anos em Portugal, investiu, neste período, mais de 50 milhões de euros em infraestruturas e redes.

Por sua vez, nas últimas duas décadas, os custos com pessoal também ultrapassam os 50 milhões de euros.

Nesta área, cerca de 50% do investimento ocorreu nos últimos seis anos, devido à criação dos centros de competência e à consequente necessidade de recrutamento.

A empresa tem três centros de competências, duas redes de área metropolitana, 830 quilómetros (km) de rede de fibra ótica e 1.700 km adicionais de rede de longa distância, "ligando mais de 777 edifícios e 12 centros de dados", prosseguindo a sua estratégia de crescimento, ligando oito parques industriais em Lisboa, Porto, Oeiras, Sintra, Vila Nova de Gaia e Maia, segundo dados divulgados, em comunicado.

A Colt é uma empresa do setor das telecomunicações, que opera em áreas como 'software defined networks' e 'network function virtualization', contando com duas áreas de negócio em Portugal -- vendas e 'delivery' e prestação de serviços a todo o mundo.

"Do ponto de vista do negócio local, efetivamente sentimos a posição estratégia que Portugal tem, devido ao 'hub' que está a ser criado em Portugal de amarração de cabos submarinos", destacou Carlos Jesus.

O negócio tem assim crescido ao longo dos anos, verificando-se "muitas necessidades" de comunicações em Portugal, nomeadamente para as grandes empresas.

"Só este ano implementámos cerca de 50 ligações destas, entre Lisboa-Madrid, Lisboa-Paris e Lisboa-Londres", referiu.

A empresa quer aumentar, nos próximos anos, a capacidade de Portugal no que diz respeito aos cabos submarinos, que liga a Europa a África e às Américas.

No âmbito do reforço previsto para a Península Ibérica, a Colt está agora a estudar uma quarta localização para ligar Madrid.

O processo de decisão deverá durar dois meses e a implementação entre 12 a 24 meses.

"Precisamos de aprovação para avançar com o projeto, sendo que está identificado que a ligação à Península Ibérica tem um potencial de crescimento nos próximos anos", concluiu.

Leia Também: Uma tatuagem temporária que monitoriza pressão arterial? Sim, já existe!

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório