Meteorologia

  • 02 JULHO 2022
Tempo
30º
MIN 15º MÁX 32º

Dia afirma que russo Fridman não controla os seus supermercados

A cadeia de supermercados espanhola Dia, dona do Minipreço em Portugal, controlada pelo fundo de investimento do russo Mikhail Fridman, assegura que "não é afetada de forma alguma" pelas sanções da União Europeia (UE).

Dia afirma que russo Fridman não controla os seus supermercados
Notícias ao Minuto

12:04 - 01/03/22 por Lusa

Economia Minipreço

Numa informação enviada durante a noite ao regulador do mercado de capitais espanhol no âmbito das medidas restritivas da UE em resposta à invasão militar da Ucrânia pela Rússia é sublinhado que o grupo Dia não é controlado por Mikhail Fridman, apesar de este estar na lista negra de pessoas próximas de Vladimir Putin que são visadas por estas sanções.

A nota explica que a cadeia de supermercados é controlada pelo fundo Letterone, que o magnata russo fundou, insistindo-se que não tem o controlo direto do fundo.

A União Europeia publicou na segunda-feira uma lista negra de personalidades consideradas próximas do Presidente russo e sancionadas por um congelamento dos seus bens e uma proibição da sua permanência na UE, devido à guerra de Moscovo contra a Ucrânia.

Numa carta aos empregados do seu fundo Letterone, publicada no domingo pelo Financial Times, Fridman tornou-se o primeiro oligarca russo a denunciar a guerra na Ucrânia como "uma tragédia".

"Esta crise vai custar vidas e devastar as duas nações que foram irmãs durante centenas de anos", escreveu, acrescentando que queria ver o fim do "derramamento de sangue".

Nascido em abril de 1964 numa família judia na cidade ucraniana de Lviv e licenciado numa universidade técnica de Moscovo, Mikhail Fridman tornou-se desde o fim da URSS num dos homens mais ricos do mundo, dirigindo um império que vai do petróleo e gás à banca, telecomunicações e comércio a retalho.

O seu fundo Letterone comprou a Dia em maio de 2019 através de uma oferta pública de aquisição, detendo 77,7% do capital da cadeia de supermercados.

O grupo - com quase 6.000 lojas em Espanha, Portugal, Argentina e Brasil - teve um volume de negócios de 6,64 mil milhões de euros no ano passado e um prejuízo de 257,3 milhões de euros, de acordo com os resultados anuais revelados hoje em Madrid.

A Rússia lançou na quinta-feira de madrugada uma ofensiva militar na Ucrânia, com forças terrestres e bombardeamento de alvos em várias cidades, que já mataram mais de 350 civis, incluindo crianças, segundo Kiev. A ONU deu conta de mais de 100 mil deslocados e mais de 660 mil refugiados na Polónia, Hungria, Moldova e Roménia.

O Presidente russo, Vladimir Putin, disse que a "operação militar especial" na Ucrânia visa desmilitarizar o país vizinho e que era a única maneira de a Rússia se defender, precisando o Kremlin que a ofensiva durará o tempo necessário.

O ataque foi condenado pela generalidade da comunidade internacional e a União Europeia e os Estados Unidos, entre outros, responderam com o envio de armas e munições para a Ucrânia e o reforço de sanções para isolar ainda mais Moscovo.

Leia Também: Cartier apresenta queixa contra LVMH por concorrência desleal

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório