Meteorologia

  • 25 MAIO 2022
Tempo
25º
MIN 14º MÁX 26º

"É muito normal" que unidade de processamento do lítio esteja em Portugal

O ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, defendeu hoje ser "muito normal" que uma unidade de processamento de lítio se localize em Portugal, classificando este projeto como "inovador".

"É muito normal" que unidade de processamento do lítio esteja em Portugal

muito normal que uma unidade de processamento de lítio se localize em Portugal. É verdadeiramente um projeto inovador", afirmou o governante, na sessão de apresentação da parceria da Galp com a Northvolt para a conversão de lítio.

A Galp e a sueca Northvolt preveem investir 700 milhões de euros e criar 1.500 empregos diretos e indiretos na fábrica de conversão de lítio que vão desenvolver em parceria, foi hoje anunciado.

Esta petrolífera anuncia hoje um projeto industrial na cadeia de valor de baterias de lítio para veículos elétricos em Portugal, em parceria com a sueca Northvolt, que tem uma fábrica em construção na Suécia.

O ministro do Ambiente e da Ação Climática vincou que este é verdadeiramente um projeto inovador", sublinhando a importância da Galp e da Northvolt, a quem deu as boas-vindas a Portugal.

Matos Fernandes disse que este investimento vem confirmar que "o Governo não tem nenhum projeto de fomento mineiro", mas de bom aproveitamento dos recursos naturais e minerais, sendo o lítio "um dos melhores exemplos".

Apesar de não adiantar mais detalhes, Matos Fernandes notou que, nos próximos anos, vão ser aplicados entre 17.000 e 18.000 milhões de euros na área da energia, vincando que os investimentos em sustentabilidade são os que melhores garantias dão em termos de crescimento económico.

"Os que dizem que a sustentabilidade pode comprometer o bem-estar económico das famílias cometem um erro crasso. Contribui para a melhoria da qualidade de vida, para a redução das emissões [...] e, da mesma forma, assegura os investimentos necessários para a criação de riqueza, mas também para a criação de emprego qualificado", acrescentou.

O titular da pasta do Ambiente referiu ainda ser "evidente" que o seu ministério criou as políticas e agendas necessárias para que este investimento pudesse acontecer em Portugal.

"Entendemo-lo com toda a naturalidade. Entendemos também que o nosso Ministério criou as agendas certas para definir as metas e os processos a que queremos chegar", reiterou.

Denominada Aurora e com uma participação de 50/50 da Galp e dos suecos da Northvolt, a 'joint venture' está atualmente "a realizar estudos técnicos e económicos e a analisar várias localizações possíveis para a unidade" em Portugal.

Está também "a explorar as opções adequadas de financiamento no âmbito da transição energética, de modo a reforçar o desenvolvimento do projeto".

O objetivo é desenvolver a "maior e mais sustentável fábrica de conversão de lítio da Europa, [...] com uma capacidade de produção anual de até 35.000 toneladas de hidróxido de lítio", lê-se num comunicado.

Galp e Northvolt ainda avaliam localização para unidade de conversão de lítio

A Galp e a Northvolt ainda não definiram a localização da unidade de conversão de lítio, que será instalada em Portugal, garantiu o cofundador da empresa sueca, notando que esta está dependente de vários fatores.

"Temos em mente uma localização, que ainda está a ser avaliada. Temos múltiplas possibilidades no Norte. Não há ainda uma localização específica ou decisão sobre esse assunto", afirmou Paolo Cerruti, na apresentação da parceria entre as duas empresas, em Lisboa.

[Notícia atualizada às 11h07]

Leia Também: Galp e Northvolt investem no lítio 'por cá'. Serão criados 1.500 empregos

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório