Meteorologia

  • 05 DEZEMBRO 2022
Tempo
13º
MIN 11º MÁX 16º

Pagamento a 11 dias facilita gestão financeira que coloca Feira no top

O município de Santa Maria da Feira, hoje classificado no 'ranking' nacional de gestão autárquica como o melhor entre 24 concelhos de grande dimensão e terceiro na lista geral, atribui essa posição ao pagamento em 11 dias a fornecedores.

Pagamento a 11 dias facilita gestão financeira que coloca Feira no top

Em causa está o Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses, executado pelo Centro de Investigação em Contabilidade e Fiscalidade do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (da Universidade do Minho), com o apoio da Ordem dos Contabilistas Certificados e do Tribunal de Contas.

O referido concelho do distrito de Aveiro destacou-se assim no estudo que, em cada um dos 308 municípios do país, analisou nove indicadores de eficiência financeira, entre os quais o índice de liquidez da autarquia, o seu superavit financeiro e o montante de impostos diretos cobrados por habitantes.

O presidente da Câmara da Feira, Emídio Sousa, apontou à Lusa o fator que considera mais decisivo para esse resultado: "Uma prática de boas contas, que, desde o início, faz questão de pagar a tempo e horas. Os nossos fornecedores recebem a 11 dias e, como sabem que a câmara paga rápido, isso cria uma relação de confiança que nos garante melhores preços e uma poupança considerável".

Outro aspeto que o autarca social-democrata considera determinante para a saúde financeira da autarquia é "o controlo rigoroso do investimento", já na fase prévia de preparação e projeto. "Só sabendo muito bem o que vamos gastar e quanto teremos disponível é que podemos controlar as contas e evitar surpresas", defende.

Antecipam-se, contudo, "alguns desafios" para que a Câmara da Feira possa manter ou melhorar a posição hoje obtida no Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses e Emídio Sousa diz que esses se prendem sobretudo com a transferência de competências do Estado Central para as autarquias.

"As verbas transferidas para as câmaras vão ser inferiores ao necessário e isso vai condicionar a nossa saúde financeira. É preciso que o Estado -- qualquer que seja o Governo a sair das eleições de janeiro -- verifique a distribuição dessas verbas e garanta que elas são adequadas ao devido cumprimento das novas competências municipais", conclui o autarca.

Os resultados compilados para o Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses revelam que 77% das autarquias do país fecharam 2020 com uma situação "não muito favorável" relativamente à eficácia e eficiência da sua gestão financeira.

"Em resultado da aplicação do ranking global, só 71 municípios se poderão considerar com um nível satisfatório de eficácia e eficiência financeira", revela o documento.

A pontuação máxima passível de ser atribuída a um município era de 1.800 pontos, sendo que o concelho de Santana, na Madeira, de média dimensão populacional, foi o que obteve melhor lugar na tabela classificativa, atingindo os 1.544.

No mesmo 'ranking' geral segue-se Abrantes, território também de média dimensão com um resultado final de 1.497 pontos, e depois surge Santa Maria da Feira, que, entre os 24 concelhos do país com mais de 100.000 residentes, foi o que demonstrou melhor performance, atingindo os 1.475 pontos.

Leia Também: Câmara da Feira vai apoiar com 600 euros anuais crianças até aos 3 anos

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório